loader

Analíse Diária: Os Títulos do Tesouro no

Nos primeiros meses do ano corrente, o valor negociado na BODIVA atingiu Kz 78,9 mil milhões, que corresponde a um incremento de 210% face ao mesmo período de 2017.

POR: Atlantico

Os Títulos do Tesouro registados na Bolsa de Dívida e Valores de Angola (BODIVA) atingiram o montante de Kz 48,68 mil milhões em Fevereiro do ano corrente, que representa um aumento de 61% em relação ao total de Kz 30,23 mil milhões transacionados no mês anterior. Em relação ao período homólogo registou- se um incremento de 360%, sendo que em Fevereiro de 2017 o montante negociado atingiu Kz 10,59 mil milhões. Nos primeiros dois meses do ano corrente, o valor negociado na BODIVA atingiu Kz 78,9 mil milhões, que corresponde a um incremento de 210% face ao mesmo período de 2017.

A avaliação bimensal poderá reflectir a colocação de Títulos do Tesouro no mercado primário, destacando que ao longo do mês de Janeiro, tanto de 2017 quanto de 2018, não se realizou emissão de dívida pública, tendo em consideração que as condições legais não haviam sido designadas pelo Ministério das Finanças, no período que antecede a execução do Orçamento Geral do Estado (OGE). O mês de Fevereiro de 2017 caracterizou- se pela emissão de dívida de curto prazo (Bilhetes do Tesouro) no valor de Kz 182,25 mil milhões e de dívida de longo prazo (Obrigações do Tesouro) no montante de Kz 4,05 mil milhões, que perfaz Kz 186,3 mil milhões, em Títulos do Tesouro emitidos pelo Ministério das Finanças tendo o Banco Nacional de Angola (BNA) como intermediário.

Entretanto, em Fevereiro de 2018 registou-se a emissão, exclusiva, de Obrigações do Tesouro, no total de Kz 216 mil milhões, montante que supera em 16%, o total emitido no período homólogo de 2017, destacando que 18% do valor total (Kz 37,9 mil milhões) correspondeu à emissão de Obrigações do Tesouro Não Reajustadas (OT-NR) e o remanescente (Kz 178,1 mil milhões) Obrigações do Tesouro Indexadas ao Câmbio (OT-TXC). A colocação de OT’s reflecte a necessidade de se cumprir com o pagamento da dívida interna titulada, descrito no Plano Anual de Endividamento para 2018, que prevê a emissão de Kz 502 mil milhões em Obrigações do Tesouro, com a distribuição de 200,8 mil milhões AOA para OT-NR e Kz 301,2 mil milhões para OT-TXC.

O documento do Ministério das Finanças destaca que as Obrigações do Tesouro Indexadas ao Câmbio, referentes ao ano corrente, seriam emitidas apenas no período que antecedia a entrada em vigor do OGE 2018. O total de Bilhetes do Tesouro negociados tanto no ambiente multilateral quanto no bilateral da BODIVA apresentou redução de 86,52%, ao variar de Kz 1,56 mil milhões para Kz 211 milhões, de Janeiro a Fevereiro do ano corrente, respectivamente. No entanto, as negociações de Obrigações do Tesouro registaram incremento de 69,12%, ao ascenderem de Kz 28,66 mil milhões em Janeiro, para Kz 48,47 mil milhões em Fevereiro. O ano que se inicia poderá apresentar um incremento das negociações de dívida interna no mercado secundário, tendo em consideração a necessidade de captação de recursos pelo Estado, tanto no mercado interno quanto no externo.

O aumento em 36,3% do endividamento bruto, a captar no mercado interno, previsto no Plano Anual de Endividamento (PAE), ao variar de Kz 3.494,32 mil milhões em 2017, para Kz 4.762,02 mil milhões em 2018, apresenta-se como um indicador que poderá impulsionar as negociações, sendo que a emissão limitada de OT-TXC, em 2018, poderá apresentar-se como um indicador que suavize as transacções na BOVIDA, ao considerar-se que o actual cenário de flutuação cambial, conduz uma porção significativa da procura para os títulos indexados ao câmbio, que o PAE 2018 estima que seja absorvida pela emissão de Obrigações do Tesouro indexadas à taxa de juros dos BT´s a 364 dias.

Últimas Notícias