Não é a cegonha, é o avião

Quem chegou a Luanda na manhã da passada Sexta- feira, vindo de Lisboa com o avião da TAAG, deve ter reparado na quantidade de bebés que fizeram a viagem.

POR: José Kaliengue

Aqueles bebés não estavam a regressar de férias, estavam a vir para o seu país pela primeira vez na sua vida. Funcionários da companhia dizem que é sempre assim, e que os bebés vêm de Portugal, Brasil, África do Sul, Namíbia. Quem tem dinheiro, mesmo em época de crise vai ter os bebés lá fora. Agora já não são apenas os bebés dos dirigentes e seus familiares, é para quem poupa e morre nas kinguilas. Portanto, o nosso sistema de Saúde está de se fugir, não dá garantias. Neste século, dar à luz já não deveria ser uma lotaria. É bom que a Ministra da Saúde pense nisso. Daqui a pouco teremos neste país apenas angolanos nascidos fora. Isto é que é país, heim?! Sempre a subir…