loader

Editorial: A Justiça para os fracos

Até há bem pouco tempo era quase impossível o que agora está a acontecer em Angola, quando o povo resolve entrar em braço-de-ferro com os poderes governativos. Em Benguela e no Lubango a sociedade civil já provou que o povo pode, sim, impor a sua razão, e que o “poder sobático” pode sim ser contido. O povo mostrou que o país pode mudar e os atropelos a tudo o que é lei, ética e bom-senso podem ter fim. E mais, o povo levou o poder judicial decidir entre a razão e as influências dos senhores poderosos. No Lubango, por via do tribunal, o povo travou a destruição do Parque da Nossa Senhora do Monte em proveito de privados. Agora é em Benguela, onde a loucura cega do poder e das influências levou o betão à areia da praia. O tribunal embargou. Mas falta a devolução das praias da Caota, doa a quem doer, falta o julgamento dos que autorizaram todas as barbáries feitas em espaços que eram públicos.

Últimas Notícias