Literatura: Lançada a I edição de revista arte e literatura “Letras de Ouro”

A revista com 22 textos de autores da década de 1980 e dos novíssimos escritores reúne poesia, ensaios, contos e crónicas. Nesta I edição, o homenageado é o escritor angolano Óscar Ribas, enquanto figura de cap

Por: Antónia Gonçalo

A I edição da revista de arte e literatura “Letras de ouro”, composta por 22 textos de 16 autores, foi lançada Quarta-feira, no Palácio de Ferro, em Luanda, sob a égide da Editora Azul. Trata-se de textos de vários géneros literários, designadamente ensaios, contos, crónicas e poesia de autores como António Gonçalves, César Esteves, Danilson Mbala, Ernesto Daniel, Fernando Pessoa Pessoa e Gabriel Ambrósio.

Os autores angolanos Gineraldo Adão, Hélder Simbad, Mabanza Kambaka, Miguel Neto Cabaça, Pedro Mayamona, Trajanno Nankhova Trajanno, Wínia Silvana, Zola Vida e o português Marléne Cavaleira, assim como o brasileiro Valdeck de Jesus, também fazem parte do projecto.

Nesta I edição, o homenageado é o escritor angolano Óscar Ribas, que é, de resto a figura de capa. Segundo o escritor António Gonçalves, a revista veio preencher uma lacuna no mercado literário angolano, relacionada com a “falta de união” entre duas gerações, a da década de 1980 e os novíssimos.

O escritor referiu que os textos apresentados pelos autores abordam situações e experiências vividas, segundo ele, feitos com muita qualidade e profissionalismo. Quanto a homenagem a Óscar Ribas, considerou-a perfeitamente merecedora, por ser um escritor que se notabilizou com textos de investigação sobre a cultura angolana, poesia e larga intervenção na ficção narrativa com a obra literária “Uanga”.

“Esta obra, assim como “O Segredo da Morte”, de António de Assis Júnior, são consideradas como as que inauguraram a ficção narrativa angolana moderna. Óscar Ribas teve relevância particular no processo de afirmação da literatura angolana”, considerou.

O escritor Gabriel Ambrósio apresenta um artigo de opinião virado à literatura e cultura angolanas. O autor realça que o artigo versa a sua posição perante a sociedade e a arte literária.

Para Gabriel Ambrósio, a iniciativa vai contribuir para a internacionalização da literatura e da cultura de Angola, pelo facto de nela também participarem escritores do Brasil e de Portugal. O autor considera ainda que a revista servirá de incentivo aos novos talentos.

O brasileiro Valdeck de Jesus apresenta o conto “Os pretos brilhantes”, uma história registada na ladeira da preguiça, em Salvador da Bahia (Brasil), um texto que denuncia a arrogância dos representantes do poder contra os desfavorecidos residentes em locais humildes.

A revista “Letras de ouro” é um projecto da Editora Azul, vocacionado para a publicação de poemas, contos, ensaios, manifestos e artigos diversos sobre literatura, com periodicidade semestral. Trata-se de uma revista para Angola e o mundo, que pretende difundir as literaturas angolana e universal.

Em cada edição, a revista homenageará, como figura de capa, uma personalidade que tenha contribuído significativamente para a arte literária.