loader

Técnicos do BAD analisam projectos financiados no país

Técnicos superiores do Banco Africano de Desenvolvimento, nomeadamente, assessores seniores dos directores executivos apreciam, durante a visita ao país, os desenvolvimentos recentes na economia nacional e o desempenho da carteira de projectos financiados pela instituição.

Durante a sua estadia em Angola (desde o dia 19 de Abril do ano passado), o representante residente do BAD em Angola, Joseph Martial Ribeiro, que encabeça a comitiva da instituição financeira, identificou coincidências entre as prioridades do Banco e as do Governo do Cuanza-Norte para possível financiamento de projectos, sobretudo nas áreas da agricultura, da energia e transportes.

Citado pelo site do Ministério das Finanças, o responsável afirmou que “para iniciar qualquer projecto na província, são antes necessários estudos de viabilidade e pré-viabilidade”, apontando que o primeiro passo seria fazer o levantamento dos estudos disponíveis para aprofundar as avaliações, e daí concertar com o Ministério das Finanças para uma avaliação das suas necessidades objectivas. Joseph Martial Ribeiro defendeu a identificação de “projectos de desenvolvimento integrado”, que abranjam várias áreas e que respondam a diferentes desafios, com a intervenção do sector privado, tendo em consideração o potencial da província nos domínios da energia, agricultura e turismo. Para o representante do BAD, a sua equipa, também visitou a barragem hidroeléctrica de Laúca, para conhecer as pretensões do Executivo em matéria de geração de energia eléctrica no rio Cuanza, em particular, e o potencial que vai oferecer para a sua exportação na região da SADC.

A carteira actual de projectos do BAD em Angola compreende 9 projectos correspondentes a um montante USD 797 milhões. Saliente-se que em Abril de 2017 o BAD aprovou uma nova Estratégia de Cooperação para Angola para o quinquénio 2017- 2021. A mesma foi elaborada em estreita colaboração com o Governo de Angola, cujas linhas de intervenção estão articuladas com a Estratégia de “Longo Prazo 2013-2022” do BAD, e as suas cinco áreas prioritárias – High5. Segundo ainda o Ministério das Finanças, a estratégia do BAD também alinha com a Visão 2025 e o Programa do Governo para o Período 2017-2022. Por isso, está orientada para o apoio à diversificação da economia angolana, através de investimentos integrados para a transformação do sector agrícola e apoio ao desenvolvimento de infra-estruturas.

Angola no BAD

Angola é membro regional do BAD desde 23 de Junho de 1980. Desde então, 44 projectos foram financiados pelo BAD, num montante total equivalente a USD 2.07 mil milhões, em diversos sectores, nomeadamente energia, água e saneamento, agricultura, ambiente, transporte, finanças e governação.

Últimas Notícias