loader

Deputada defende mais orçamento para a Maternidade Lucrécia Paim

A deputada da Assembleia Nacional Clarice Mukinda apontou a necessidade de uma revisão ao orçamento atribuído à Maternidade Lucrécia Paim, dando-lhe assim capacidade para responder às prementes necessidades que enfrenta

POR: Iracelma Kaliengue

A deputada defendeu esta ideia, no final da visita de constatação que um grupo de parlamentares da 8ª Comissão da Assembleia Nacional, efectuou a esta unidade hospitalar na Quinta-feira, 22 de Março. Em declarações à imprensa, após esta visita que serviu para aferir as condições de funcionamento desta maternidade, Clarice Mukinda, que é a presidente da 8ª Comissão, disse urgente rever o orçamento, por não responder às expectativas da própria maternidade. Após uma visita guiada, encabeçada pela directora da maternidade, Adelaide de Carvalho, que serviu para constatar o funcionamento das várias dependências do hospital, os deputados ficaram desapontados com o que viram.

“A solução para os problemas que constatamos aqui passa pela alocação de recursos financeiros para que se possa desafogar esta grande unidade”, sugeriu a parlamentar. Reconheceu o trabalho árduo que é feito nesta unidade hospitalar, mas sem um orçamento condigno, “não é possível dar uma resposta adequada” às necessidades das pacientes que acorrem a esta maternidade. Adiantou que as condições de trabalho encontradas nas salas de partos, berçários, bancos de urgências, serviços de hematologia e de patologia obstétrica e perinatologia, precisam de melhoramentos, para que os profissionais realizem os seus trabalhos sem constrangimentos. Clarice Mukinda adiantou que todas as informações recolhidas serão remetidas à ministra da Saúde, para se encontrar uma solução plausível, garantiu.

Projectos

Apesar desta situação, está em curso a projecção de um Banco de Leite Humano, segundo a directora da Maternidade Lucrécia Paim, Adelaide de Carvalho. Segundo a responsável, o projecto consta de um protocolo de cooperação com o Brasil, a ser implementado ainda no decurso deste ano, em cumprimento dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável referentes à redução da mortalidade infantil.

Pessoal

Falando à imprensa, Adelaide de Carvalho disse que a maternidade conta com 800 funcionários, 52 dos quais médicos, entre nacionais e estrangeiros, e 365 Enfermeiros. Debate-se com a falta de anestesistas e técnicos para o berçário. Referiu que a “Lucrécia Paim” foi concebida para realizar 45 partos por dia, acolher pacientes em estado grave e a necessitar de cuidados especiais, mas actualmente atende entre 150 a 200 pacientes, e 80 destas são encaminhadas para a sala de partos. Afirmou que com este grande fluxo de pacientes, os casos de cesarianas disparou. Apesar destes constrangimentos, a instituição possui uma infraestrutura aceitável e um pessoal clínico administrativo com motivação para realizar as suas actividades, porém o grande constrangimento é a situação financeira apertada em que a instituição se encontra mergulhada.

Últimas Notícias