loader

Palancas asseguram o terceiro lugar em Ndola

O combinado angolano terminou na terceira posição no torneio das Quatro Nações, na Zâmbia, após vencer por 4-2, nas grandes penalidades, o Zimbabwe

Por: Mário Silva

Na cidade de Ndola, Zâmbia, a Selecção Nacional de Futebol em honras terminou na terceira posição no torneio das Quatro Nações, após vencer o Zimbabwe, por 4-2 nas grandes penalidades. Durante os noventa minutos, as duas equipas terminaram empatada a duas bolas.

Mesmo com o terceiro lugar, os Palancas Negras falharam o objectivo anunciado pelo treinador Srdjan Vasiljevic, que era conquistar o título da prova. Ainda assim, o torneio enquadrado na data FIFA serviu para o técnico tirar algumas ilações sobre os jogadores com que poderá contar nas eliminatórias de acesso ao Campeonato Africano das Nações (CAN) 2019, a realizar-se nos Camarões. As selecções do Burkina Faso, Botswana e Mauritânia são os adversários da Selecção Nacional no Grupo I na corrida para maior prova sob a égide da Confederação Africana de Futebol (CAF).

Ontem, o técnico sérvio Srdjan Vasiljevic entrou com uma equipa diferente em relação àquela que defrontou a África do Sul, e isso com intenção de resolver a partida no primeiro quarto de hora.

Neste sentido, os médios ofensivos Djalma Campos e Vá conseguiram criar vários problemas na defensiva contrária, mas no último toque a equipa “pecava”. Por sua vez, os ‘Guerreiros’ aguentaram a pressão dos angolanos e depois equilibraram a partida.

Aos 22 minutos, o avançado Amidu Abbas inaugurou o marcador a favor do Zimbabwe, num lance que deixou o guarda-redes angolano Landu sem qualquer possibilidade de evitar o golo.

Antes do intervalo, Djalma Campos igualou o “placar”. Resultado que levou as duas equipas aos balneários. No reatamento, os zimbabweanos entraram melhor e aos 54 minutos chegaram ao segundo tento por intermédio de Chawapiwa Talent, mas no minuto noventa Yano empatou (2-2). Resultado que levou as duas equipas no desempate das grandes penalidades. Já nos penáltis a Selecção Nacional foi mais forte do que os Guerreiros e venceu a disputa de penaltis por quatro bolas a duas.

Últimas Notícias