loader

Porto pesqueiro do Amboim será erguido nos próximos meses

“Os programas gizados pelo Executivo têm como objectivo alavancar o sector produtivo, contribuindo, deste modo, para a diversificação, crescimento e fortalecimento da economia do país, em particular da província do Cuanza-Sul” – vitória de barros neto

Texto de: Borges Figueira

A construção de um porto pesqueiro, bem como de um centro de apoio à pesca artesanal, no município do Porto Amboim, província do Cuanza-Sul, vai alavancar o sector produtivo no âmbito da diversificar a actividade económica em curso no país, afirmou, recentemente, a ministra das Pesca e do Mar, Victória de Barros Neto.

A governante, que falava durante o acto de encerramento do Fórum de revitalização da pesca artesanal, realçou a necessidade de se prestar uma particular atenção à criação e revitalização do sector, com maior destaque para as infraestruturas, de modo a proporcionar maior aproveitamento do pescado capturado.

De acordo com Victória de Barros Neto, os programas gizados pelo Executivo têm como objectivo alavancar o sector produtivo, contribuindo, deste modo, para a diversificação, crescimento e fortalecimento da economia do país, em particular da província do Cuanza-Sul.

incentivo à criação de cooperativas

Por outro lado, a ministra apelou aos pescadores, armadores e investidores para criarem cooperativas e associações que permitam aumentar a produtividade e competitividade para que apoiem, a médio prazo, o desafio de substituição das importações pelas exportações. No que concerne ao apoio financeiro, a governante adiantou que os interessados deverão apresentar os seus “projectos bem elaborados e estruturados” para que sejam analisados e aprovados pelas instituições financeiras do país, com destaque para o Banco de Desenvolvimento Angolano (BDA).

“O Ministério das Pescas e do Mar vai continuar a apoiar iniciativas no domínio da fiscalização de pescas, formação de quadros e investigação científica, apesar dos poucos recursos disponíveis”, disse. A província do Cuanza-Sul possui uma costa marítima com 178 quilómetros que dispõe de abundantes recursos biológicos aquáticos, pesqueiros, de pemeio com os que criam as condições favoráveis para o desenvolvimento da pesca continental e artesanal.

O Fórum de revitalização da pesca artesanal debateu temas como “O ponto de situação do sector pescas na região” e “A revitalização das infra-estruturas/acessos ao crédito/legalização das embarcações/consequências da falta de fiscalização”. Fizeram igualmente parte da agenda “A importância do centro de processamento de pescado/constrangimentos”, “A revitalização do sector pesqueiro, infraestruturas, medidas e políticas” e “O contributo da pesca artesanal no desenvolvimento da economia nacional”. Estiveram presentes no fórum o governador do Cuanza-Sul, Eusébio de Brito Teixeira, o presidente do Conselho de Administração do BDA, Abraão Gourgel, diplomatas, representantes de bancos comerciais, associações e cooperativas de pesca e outros convidados.

Últimas Notícias