loader

Governo angolano e FIDA lançam projectos agrícola de USD 45 milhões

 Os referidos projectos pretendem reforçar a capacidade institucional das partes envolvidas, bem como impulsionar a produção entre os pequenos agricultores e melhorar a sua relação com os mercados

O Governo angolano e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) lançaram, esta Quinta-feira, em Luanda, dois projectos agrícolas, um destinado ao desenvolvimento da agricultura familiar e a comercialização (SADCP-C H SAMAP), e outro destinado à recuperação da agricultura nas províncias do Cunene, Benguela e Huíla, orçado em USD 45.2 milhões, num acto presidido pelo ministro da Agricultura e Florestas, Marcos Nhunga.

O primeiro projecto será implementado nas províncias do Cuanza- Sul e da Huíla e vai contemplar dez municípios, cinco em cada uma delas, e prevê reforçar a capacidade institucional das partes envolvidas, reforçar a capacidade de produção dos pequenos agricultores, e melhorar a sua ligação com os mercados.

O projecto abrange, como culturas principais, o milho, feijão, batata- rena e hortícolas diversas, que vai beneficiar 60 mil famílias, 300 mil pessoas e capacitar igualmente 10 mil famílias nas escolas de campo, e mil famílias sobre sistemas de irrigação.

Com a implementação deste projecto, o governo angolano e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) esperam criar mais postos de trabalho nos campos agrícolas familiares, assim como melhorar os meios de subsistência e do estado nutricional de 60 mil famílias, facilitando o desenvolvimento de cadeias de valor agrícola.

O aumento da produção agrícola e da produtividade decorrentes da adopção de tecnologia apropriadas e maior acesso e efiicácia no uso da água, maior rendimento financeiro e redução dos custos, perdas pós-colheita, bem como um maior valor agregado pelos pequenos agricultores, o reforço do poder de negociação, compreensão dos mercados e capacidade de gestão, constam igualmente do impacto esperado pelos financiadores dos projectos.

Segundo o ministro da Agricultura e Florestas, Marcos Nhunga, o projecto de recuperação da agricultura é de emergência, para acudir às populações afectadas pela seca na região sul de Angola, principalmente nas províncias do Cunene, Huíla, Namibe e Benguela.

“Esta região do país é tradicionalmente vocacionada à pastorícia, e a pecuária é um importante meio de subsistência, porque parte do rendimento dessas populações resulta da criação de bovinos, caprinos, ovinos e suínos, bem como aves de capoeira”, esclareceu.

Segundo o ministro ainda, o Projecto de Recuperação da Agricultura (na sigla em inglês ARP) contribuirá para o programa de recuperação agrícola, enquanto prioridades do Executivo angolano, no âmbito do Programa Nacional de Desenvolvimento. Este projecto será desenvolvido em três províncias, designadamente, Benguela, Cunene e Huíla, todas da região sul do país.

Últimas Notícias