loader

Músico Preto Show advertido pela TAAG por mau comportamento a bordo

A atitude indecorosa recentemente praticada pelo músico a bordo de uma aeronave da Transportadora Aérea de Angola (TAAG), acto que foi seguido por demais passageiros, através de “actos de arruaça” no avião, serão responsabilizados civil e criminalmente

POR: Jorge Fernandes

A afirmação é do porta-voz da companhia de bandeira nacional, Carlos Vicente, que condenou com veemência, o facto de em determinado momento de uma viagem com destino a Maputo (Moçambique), o artista ter pousado as pernas no encosto do banco à sua frente. Para Carlos Vicente, tal comportamento denota falta de ética e má educação por parte do cidadão em causa, e que em nada contribui para a conservação da aeronave enquanto património público, daí que em próximas instâncias serão accionados mecanismos legais.

“Quero aproveitar a oportunidade para chamar a atenção, em particular, ao músico Preto Show pelo comportamento arruaceiro que demonstrou durante uma viagem que efectuou entre Luanda e Maputo”, expressou, apelando aos passageiros a pautarem-se por atitudes dignas e exemplares. O porta-voz da companhia nacional de bandeira fez esta advertência no final da audiência de julgamento do cidadão angolano Nuno Mário Lopes Pereira “Tio”, condenado a quatro meses de prisão correccional, pelo Tribunal Municipal da Ingombota. A medida é resultante do facto deste réu primário ter cometido o crime de danos voluntários não previstos especialmente, a bordo do voo DT – 746, do tipo Boeing 777-300 que fazia a rota Rio/São Paulo/Luanda, no dia 4 de Abril do corrente mês (Quarta-feira), por volta das 4h30. Durante a viagem, além de injuriar os assistentes de bordo, o jovem de 35 anos de idade quebrou um comando avaliado em 885 mil e 600 kwanzas.

Outros actos

Esse é apenas um dos demais actos perpetrados sobretudo por artistas ligados à música, como habitualmente assistidos nos vôos da companhia área, que pelo contrário deviam pautar por conduta responsável e exemplar, dado os seguidores que estes ganham por via do seu trabalho. Preto Show, por exemplo, é dos músicos da geração actual mais mediáticos, em cujo leque de seguidores se acham adolescentes e jovens radicados no país como no estrangeiro, e além deste acto agora divulgado pela TAAG, o músico e na companhia de um outro (Mids), foram recentemente inocentados pelo Tribunal de Luanda, por acusação de “agressão sexual”, a uma rapariga menor num apartamento da cidade do Kilamba.

O artista

Ex-integrante do grupo The Groove, com Fábio Dance e Mids, Preto Show decidiu seguir carreira a solo. Após ao que assinou com a produtora Clé Entretainement, através da qual apresentou o seu primeiro álbum de originais intiulado “Panamera”, em que constam alguns hits amplamente tocados em noitadas e em discotecas. Destacam-se-lhe temas como “Abre o motor”, “Vou matar lá um”, “Me dá na cara”, “Baixa mais um pouco”, além de outros mais recentes como “Sacanagem” e outros. O artista tem participado em vários concursos ao nível do continente, tendo no ano passado arrebatado o prémio de “Melhor Artista Alta Fonte”, no Angola Music Awards.

Músico reage a advertência

Em reacção à advertência feita pela TAAG, o músico usou a sua conta na rede social Facebook reconhecendo o erro por si cometido e pediu desculpas pelo sucedido. “Eu Preto Show, venho pela presente apresentar as minhas sinceras desculpas pela atitude incorrecta da minha parte durante o vôo Luanda – Maputo”, escreveu. E acrescenta, que “sendo eu um homem ligado à cultura e uma figura pública angolana devo constituir um exemplo não só para a juventude mas como para todos os que me reconhecem como exemplo e acima de tudo sou filho desta Angola. Aproveito a oportunidade para informar que considero a TAAG a nossa companhia de bandeira de tal modo que devo respeitar, preservar e cuidar do património do nosso país que nesse caso são as aeronaves”, assinalou.

Últimas Notícias