Angola e Tchad buscam soluções para questões de insegurança na região

A situação de insegurança na região esteve no centro da abordagem, durante o encontro de trabalho mantido entre João Lourenço e o enviado especial tchadiano

POR:Neusa Filipe

O Presidente da República, João Lourenço, recebeu ontem, em audiência, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Tchad, Cherif Mahamat Zene, que foi portador de uma mensagem do Presidente tchadiano, Idriss Déby para o seu homólogo angolano. No final da audiência, Cherif Mahamat Zene revelou à imprensa que a mensagem reporta o fortalecimento das relações bilaterais e de cooperação. Referiu que o encontro abordou ainda outras questões referentes à segurança e estabilidade na região, visto que o Tchad tem-se deparado com constantes problemas de terrorismo em torno do lago Tchad.

O enviado especial de Idriss Deby caracterizou a situação como preocupante, tendo salientado a importância do Tchad concertar contactos com os seus parceiros da região e sub-região da SADC, a fim de encontrar-se vias tendentes a eliminar esse mal. Angola e o Tchad possuem um quadro de cooperação incidido em várias matérias, como ênfase para a troca de informação no âmbito político e diplomático, porém, o ministro referiu que o seu pendor recai para a segurança regional. “Angola tem sido um parceiro muito importante para o Tchad, tem apoiado o Tchad em várias Comissões, temos esse compromisso porque a questão da bacia do lago Tchad é mesmo muito preocupante e nós estamos a encontrar várias dificuldades”, declarou, Cherif Mahamat.Avançou que, devido aos vários conflitos que cercam os países do continente, é necessário manter a união e os contactos permanentes com todos os seus parceiros entre os quais Angola faz parte. “Precisamos do apoio de todo os países parceiros com os quais temos uma boa relação e Angola é um destes países”, concluiu.

Angola e Botswana abordam em Luanda reforço da cooperação

Igualmente, ontem, João Lourenço recebeu o seu homólogo do Botswana, Mokgweetsi Masisi, que chegou à Luanda no período da tarde, em visita oficial de algumas horas, no quadro de um périplo que efectua pelos países da África Austral. O Chefe de Estado do Botswana foi recebido no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro pelo ministro das Relações Exteriores,

Manuel Augusto, e pelo vice-governador de Luanda, Júlio Bessa. Integraram a comitiva presidencial os ministros dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Vincent Seretse, dos Transportes e Comunicações, Onkokame Mokaila, e dos Recursos Minerais, Tecnologias Verdes e Segurança Energética, Mothibi Molale. Mokgweetsi Masisi é, desde 1 de Abril, o quinto Presidente do Botswana desde a sua Independência, em substituição de Seretse Khama Ian Khama, que resignou ao cargo, devendo dirigir o país até às eleições gerais de 2019. Com este périplo, que já o levou à Namíbia e ao Zimbabwe, o estadista tswanês cumpre uma tradição mantida pelos países da África Austral, de que os seus presidentes realizem visitas de cortesia aos Estados da região logo após a assumpção ao cargo.