Lutucuta bane empreiteiros sem qualidade

O Ministério da Saúde (Minsa) vai banir dos concursos públicos de concessão de obras todas empresas de construção e de fiscalização que edificam empreendimentos sanitários sem qualidade, anunciou Sábado no Luena, a titular da pasta, Sílvia Lutucuta.

A governante manifestou tal posição durante uma visita que efectuou às obras do Hospital Regional de Camanongue (Moxico), onde constatou irregularidades, como a construção do Banco de Urgência no centro da instituição em vez da parte frontal, além dos acessos e outras questões técnicas. Durante a visita, Sílvia Lutucuta acusou que a falta de qualidade das obras e incumprimentos dos parâmetros internacionais, se deve ao facto de as empresas de construção “entrarem em acordo” com as de fiscalização para não exercerem o seu real papel de inspectores e representantes do dono da obra.

Informou que o cenário constatado no município de Camanongue é generalizado no país, razão pela qual promete banir dos concursos públicos as empresas que se abstiverem de corrigir os erros, que deverão ser feitos com recursos próprios. “Há um cenário a nível do país em que os empreiteiros entram em acordo com os fiscais para não exercerem o seu papel, de correcção e inspecção. E, em alguns casos, não entendem (os fiscais) nada da matéria. Vamos retirar estas empresas dos concursos públicos, queremos obras de qualidade”, vincou. A ministra, além de recomendar melhorias, prometeu mesmo que, por altura da montagem do equipamento hospitalar em Camanongue, se houver irregularidades exigirá que o empreiteiro faça a correcção necessária com os seus próprios recursos financeiros.

Quanto à retomada das obras do Hospital com capacidade para 120 camas, Sílvia Lutucuta disse que aguarda pela mobilização de uma linha de financiamento. Entretanto, o governador provincial, Gonçalves Muandumba, destacou recentemente a importância do aludido futuro Hospital Regional de Camanongue, que tratará de doentes de toda região Leste, principalmente das províncias do Moxico e Lunda-Sul, em matérias de traumatologia, por se situar ao longo da Estrada Nacional Nº 180, que liga a cidade do Luena a Saurimo.

Ainda em Camanongue, a ministra manteve um encontro com as autoridades tradicionais e religiosas, às quais instou para a necessidade de haver mais envolvência destes na melhoria das determinantes sociais de Saúde, dada a sua importância na educação das famílias. Acompanhada pelo governador provincial, Gonçalves Muandumba, e parceiros como o UNICEF, OMS e o FAS, a ministra da Saúde entregou no Centro de Saúde de Camanongue medicamentos diversos e presenciou o arranque da campanha de vacinação contra a pólio, sarampo e rubéola.