Educação recruta 20 mil professores dentro de duas semanas

Está prevista a contratação de 20 mil novos professores que deverão ser recrutados em todo o país. Depois da greve de uma semana, os estudantes do ensino geral retomam hoje às aulas.

O Ministério da Educação prevê proceder ao lançamento do concurso público para a admissão de novos professores dentro de duas semanas, segundo garantiu ontem, em Mbanza Kongo, província do Zaire, a titular da pasta, Maria Cândida Teixeira. A governante avançou, à imprensa após desembarcar no aeroporto local, que o Ministério que dirige está a cuidar dos procedimentos administrativos para o lançamento do concurso público. Segundo a Angop, a ministra esclareceu que aguarda-se também pelos despachos a ser exarados pelos Ministérios da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (Maptess), da Administração do Território e Reforma do Esta do e das Finanças para se avançar com o referido concurso público.

“Logo que estes procedimentos estejam concluídos despoletaremos todo o processo para o início do concurso público”, assegurou. Importa recordar que 20 mil novos professores deverão ser recrutados no país no presente ano lectivo. Referindo-se à greve observada durante cinco dias pelos professores no país, a governante disse que o seu pelouro comprometeu- se a resolver a questão do estatuto orgânico do pessoal docente que mais preocupava a classe. Disse que este compromisso foi também assumido ao mais alto nível do Executivo. Quanto à visita que terminará na Terça-feira, esclareceu que a mesma serve para constatar o funcionamento do sector na região, durante a qual a sua delegação deverá manter encontros de trabalho com o Governo local e a direcção provincial do sector.

Esta é a primeira deslocação de Maria Cândida Teixeira à província do Zaire desde que assumiu a direcção do Ministério da Educação, em finais de 2017. Nesta parcela do território nacional estão matriculados, no presente ano lectivo, 150 mil alunos do ensino geral, dispondo de 2001 salas de aula, distribuídas por 306 escolas. A região apresenta um défice de 289 salas de aula e 390 professores, segundo dados da Direcção Provincial da Educação. O Ministério da Educação disponibilizou à província 668 vagas para a admissão de novos professores do ensino geral, no presente ano lectivo.