loader

Grupo de Embaixatrizes ajuda lares e escolas

Inicialmente programado para socorrer algumas instituições de índole acolhedora e educativa de Luanda, em 2017, o donativo do Grupo de Amizade contemplou outras províncias e ficou orçado em 28 milhões de Kz

Texto de: Alberto Bambi

As embaixatrizes de Portugal e da Alemanha, Margarida e Margaret Mueller, revelaram a O PAÍS, na ocasião de uma acticvidade de apoio levada a cabo pelo Grupo de Amizade que lideram, neste primeiro trimestre lectivo, na escola Dom Bosco do Cacuaco em Luanda, que, em 2017, a sua organização disponibilizou um valor avaliado em mais 28 milhões de Kwanzas para apoiar instituições de acolhimento e outras de carácter educativo.

O donativo, cujo valor monetário foi confirmado pela tesoureira da referida organização feminina, Vanessa Oliveira, na ordem de 28 milhões e 853 mil e 141 Kwanzas, foi canalizado com o fim de os estabelecimentos contemplados verem melhorada a qualidade de vida e de funcionamento, além das infra-estruturas, bem como de outros factores que ainda constituem uma necessidade constante.

“Para o Grupo de Amizade, o importante é saber que a instituição precisa, de facto, de apoio e, uma vez apoiada, esforçar-se a gastar mesmos estes recursos para as crianças, adolescentes ou órfãos”, sublinhou Margarida, para quem a credibilidade representa um dos principais factores para atrair a ajuda das embaixatrizes.

Intitulado Resumo de Projectos Apoiados Pelo Grupo em 2017, o documento que o Grupo de Amizade fez chegar a OPAÍS faz menção ao número de infanto-juvenis existentes em cada instituição apoiada e precisa a oferta como donativo pontual, no sentido de chamar a atenção sobre a determinação nos cálculos.

A benesse contemplou os centros de Saúde Boa Nova, Criança Feliz, Irmãs de Nossa Senhora da Muxima, Orfanato Dona Isabel e a Escola Dom Bosco do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora, sem ter deixado de parte a Escola Teresiana de Viana, Humberto Negrin e Carlos Tesche, assim como a Obra de Bella e Galhina de Kikolo.

Fora de Luanda o apoio das embaixatrizes avançou para as escolas teresianas de Menongue, Luena, Cubal e Vavayela, respectivamente no Cuando Cubango, Moxico e Benguela, as duas últimas, sendo, que destas, apenas as de Menongue e Cubal que beneficiaram de um orçamento avaliado em um milhão e 200 mil Kwanzas de donativo anual apurado.

O financiamento das integrantes do Grupo de Amizade destinou-se também para equipamentos complementares dos referidos estabelecimentos, apoio escolar, bens alimentares, vestuários, artigos de higiene e outras especificidades.

Construções patrocinadas

As alocações de melhoramento de infra-estruturas, em 2017, foram apenas concedidas ao Centro de Saúde Boa Nova Beata, que recebeu das mãos do Grupo de Amizade oito milhões e 685 mil e 41 Kwanzas para tal fim, enquanto ao instituto das Irmãs de Nossa Senhora da Muxima coube a fatia de um milhão e 550 mil Kwanzas.

Neste capítulo, vale lembrar que a escola de Dom Bosco do Cacuaco ganhou a construção de uma infraestrutura de raiz, com um piso, onde já se leccionam as aulas do ensino primário. Bibliotecas e salas de leitura estão contempladas no edifício.

Importa referir que, dos estabelecimentos ajudados, o que mais alberga crianças é a Escola Teresiana de Viana, em Luanda, com mil e 932, ao passo que o Orfanato Dona Isabel, com 98 internos, se destaca como a instituição que menos acolhe petizes, mas se notabiliza pela especificidade das crianças, com necessidades extremas.

Últimas Notícias