loader

Ministra das Pescas garante apoio ao sector para dinamizar economia nacional

A ministra das Pescas e do Mar garantiu nesta Sexta-feira, 20, na cidade de Moçâmedes, província do Namibe, que o sector que dirige vai prestar maior atenção à actividade pesqueira no país

Texto de: João Katombela, no Namibe

Victória de Barros Neto, que falava à margem da cerimónia de abertura da Primeira Conferencia Internacional sobre as ciências do Mar, salientou que o seu pelouro pretende alavancar o sector, com vista a contribuir para o crescimento da economia nacional. “Conscientes da importância da implementação das políticas sobre o Mar no contexto das nações, apoiaremos incondicionalmente quaisquer iniciativas no sentido de alavancar o sector, contribuindo deste modo para a diversificação, crescimento e fortalecimento da nossa economia, por via de uma maior produtividade das empresas.

O que nos poderá proporcionar o aumento da renda e, consequentemente, das condições de vida de muitas famílias angolanas”, disse. No actual contexto do país, informou que o Ministério das Pescas e do Mar vai cingir as suas acções no espaço marítimo dentro dos pressupostos do desenvolvimento sustentável, como forma de garantia da preservação ambiental dos recursos marinhos. Por outro lado, Victória de Barros Neto reconheceu igualmente a necessidade de se dedicar particular atenção à pesca tradicional em todo o país, pelo facto de a mesma ser de produtividade reduzida.

“Devemos cingir a nossa acção como forma de garantia da preservação ambiental dos recursos marinhos e de uma maior qualidade e eficiência das actividades tradicionais, cuja produtividade é mais reduzida, principalmente no que diz respeito à pesca artesanal, almejando sempre alcançar os melhores resultados do ponto de vista económico e social”, afirmou.

Com isso, continuou a governante, será possível a garantia da criação massiva de postos de trabalho e contribuir para a redução em grande escala das taxas de desemprego no país.

“Pretendemos continuar a incentivar as actividades de maior produtividade, tais como os sectores mais modernos da pesca e da pesca e da transformação do pescado, com o aumento da qualidade na cadeia de valor e dos serviços associados, por via de investimentos públicos e contando fundamentalmente com a colaboração do sector empresarial privado”, explicou. A ministra acredita que será necessário adequar, legislar, regulamentar, definir estratégias para as áreas de actividade e de gestão, privilegiando a atração de investimento privado e o crescimento ao nível das infra-estruturas fundamentais para o desenvolvimento de uma área de actuação tão dinâmica e exigente.

No domínio da formação de quadros, inovação e investigação científica, Victória de Barros sublinhou a importância da Academia de Pescas e Ciências do Mar do Namibe. “A Academia de Pescas e Ciências do Mar do Namibe e as escolas técnicas, em parceria, desempenharão certamente um papel fundamental na reparação do capital humano.

Queremos contar com a colaboração de quadros competentes, ou seja, um conjunto de homens e mulheres bem formados capazes de contribuir de forma decisiva para o alcance das soluções para os problemas e desafios que afligem o sector”, assegurou, acrescentando que conta ainda “com a cooperação dos países onde actualmente a economia do Mar contribui de maneira extraordinariamente forte e consistente para o seu Produto Interno Bruto com resultados económicos altamente positivos”.

Na sequência, a ministra defende que é preciso uma reflexão unida e ter como único propósito transformar o espaço marítimo num espaço que contribua decisivamente para o aumento da qualidade de vida das populações.

Últimas Notícias