loader

Empresários querem investir em Malanje no ramo de Hotelaria e Turismo

A Associação de Hotelaria, Turismo, Restauração e Similares de Malanje (ATURHOMA) realizou, nesta cidade, a “1ª Reunião Provincial de Auscultação sobre Turismo, Hotelaria e Restauração”, com a finalidade de analisar e traçar estratégias tendentes ao desenvolvimento do sector turístico na província

Texto de: Miguel José em Malanje

Com vista a impulsionar o desenvolvimento de sectores da economia, segundo revelou nesta Sexta- feira o coordenador da ATURHOMA, Fernando de Carvalho, 8 mil milhões de dólares norte-americanos poderão ser investidos no ramo de hotelaria e turismo e noutros sectores da economia local.

Sem revelar a nacionalidade do grupo de empresários estrangeiros interessados em investir em terras da Palanca Negra Gigante, Fernando de Carvalho afirmou que a ATURHOMA já tem garantias do montante a ser disponibilizado, mas tudo dependerá das propostas que os empresários, locais apresentarem.

Avançou, ainda, que o grupo abriu a negociação para a compra de um banco a ser instalado em Malanje, com a missão de financiar o empresariado local nos diversos sectores, como: agricultura; saúde; ensino; prestação de serviços.

“Daqui por muito pouco tempo vamos ter uma banca para financiar projectos credíveis, com estudos de viabilidade económica, para tudo aquilo que é actividade económica geradora de emprego”, sublinhou.

Geração de Empregos

Uma vez consumado, o investimento poderá gerar 3 mil novos postos de trabalho, por via da criação de empresas de apoio ao sector turístico e prestação de serviços. De tal sorte, o vice-governador de Malanje para o Sector Político, Económico e Social, Domingos Eduardo, acentuou o impacto que o sector do turismo exerce na economia de qualquer país, dada a sua transversalidade, e reiterou a necessidade de se transformar o potencial turístico em riqueza para a população, por meio da promoção de emprego.

No entanto, o vice-governador atestou, na circunstância, que a província de Malanje dispõe de condições para ser transformada em “Zona de Desenvolvimento Económico Acelerado”, a julgar pelo seu potencial agro-industrial, energético e turístico.

Porém, a vinda de investidores alinha- se na pretensão do Governo da província, tendo lembrado que a conferência internacional de promoção de investimentos realizada no final de 2015 visou, justamente, captar parceiros estrangeiros. “Temos que melhorar o ambiente de negócios para tornar a nossa província uma área fértil e amiga do investimento, em particular, para o turismo”, realçou.

Adiante, Domingos Eduardo apelou à reflexão e à mudança de comportamentos e modo de agir, no sentido de transformar o potencial da província em realidade, em benefícios para as pessoas, na geração de emprego, de rendimento e de riqueza.

Últimas Notícias