loader

Multichoice quer ser o melhor contador de histórias africanas do mundo

O uso da tecnologia digital para ampliar as histórias africanas e a forma como as empresas inovam na transmissão de conteúdos para os consumidores, foram os assuntos debatidos no primeiro dia da 5ª edição do Diálogo Digital, uma plataforma de liderança de pensamento criada em 2012 e facilitada pela MultiChoice para contornar vários problemas que assolam a indústria do entretenimento de vídeo no continente africano

POR: Gisela Silva, no Dubai

Desde a sua criação, a plataforma independente e crescente tem sido fundamental para a promoção de uma melhor compreensão e construção de conhecimento sobre entretenimento de vídeo e mercados digitais. O Diálogo Digital, cujo encerramento está previsto para hoje (03), na cidade do Dubai, Emirados Árabes Unidos, junta líderes de pensamento da indústria internacional cedidas do entretenimento e jornalistas de vários países de África.

Segundo a responsável da área de conteúdos da MultiChoice, Yolisa Phahle, o objectivo da companhia é documentar a cultura e a história do continente e apetrechar a plataforma para que os africanos compartilhem histórias com consumidores de todo o mundo, tornando-se, desta forma, o melhor contador de histórias africanas no mundo. Para tal, a Multichoice produz actualmente mais de 16 canais de conteúdo local em todo o continente, apresentando histórias locais e criou o Africa Magic Viewers Choice Awards, que celebra o cinema africano.

Yolisa Phahle adiantou que a revolução digital em curso pode ser uma oportunidade para levar as histórias africanas ao mundo, através do uso da Internet. “O que sabemos é que as pessoas hoje consomem mais notícias e entretenimento do que nunca, e acredito que esta tendência continuará. Os mecanismos de transmissão mudarão e de muitas maneiras, o digital é apenas mais um caminho para o mercado, mas os produtores do conteúdo mais relevante e ressonante sobreviverão ”, referiu. No caso de Angola, a responsável garante que a companhia trabalha com produtores locais para identificar conteúdos que sejam do interesse dos angolanos e que sirvam para informar, formar e entreter os consumidores.

Desta forma, a DSTV continuará a apostar nos canais com conteúdos em Língua Portuguesa, com particular atenção para os canais de desporto. Yolisa Phahle adiantou que poderão surgir novidades na grelha de programação da DSTV para os países de língua portuguesa, depois de uma visita recente à Portugal que permitiu estabelecer contactos para novas parcerias, sem no entanto avançar dados concretos sobre os canais e conteúdos a serem exibidos. Durante dois dias, estão em discussão temas como a mudança da indústria do entretenimento, o desenvolvimento da indústria de Nollywood (Nigéria), valor da televisão por assinatura e a migração digital.

Últimas Notícias