loader

Farc pede perdão por assassinato de ex-governador na Colómbia há 15 anos

O líder das FARC, Rodrigo Londoño, pediu perdão neste Sábado pelo assassinato do ex-governador de Antioquia, Guillermo Gaviria, cometido pela ex-guerrilha comunista há 15 anos durante um frustrado resgate do governo da Colómbia.

“Timochenko”, ex-principal comandante rebelde e actual presidente do partido surgido do acordo de paz, pediu perdão à esposa de Gaviria, Yolanda Pinto, durante um acto de sequência à implementação do pacto na cidade caribenha de Cartagena. “Pedimos a chance de que nos perdoe, nunca justificaremos esse tipo de coisa que não tinha nada a ver com o confronto”, assegurou Londoño num evento onde estavam o presidente Juan Manuel Santos e os ex-presidentes do Uruguai, José Mujica, e da Espanha, o antigo primeiro-ministro Felipe González.

“Eu queria ratificar isso aqui, senhor presidente e sempre com a esperança de que dona Yolanda em algum momento nos perdoe”, acrescentou o ex-guerrilheiro. Pinto, actual directora da estatal Unidade de Vítimas, garantiu que desde a morte do seu esposo havia perdoado os responsáveis, porque não queria que a sua vida “se tornasse um inferno”.

“Neste momento tão importante para mim, para a minha família (…) aceito o pedido de perdão que vocês me pediram hoje”, afirmou. No dia 5 de Maio de 2003, o governador do departamento de Antioquia, Guillermo Gaviria, o ex-ministro da Defesa, Gilberto Echeverri, sequestrados em Abril de 2002, e mais oito militares foram assassinados pelas Farc durante um resgate frustrado.

Últimas Notícias