loader

Produção de café em Cabinda ganha outro impulso

Para que a produção atinja os níveis desejados, uma doação avaliada em Kz 49 milhões e 253 mil, para financiar a produção de café na província de Cabinda, foi concedida pela União Europeia.

Tal como as províncias do Uíge e do Cuanza- Sul, Cabinda pode entrar na lista das que mais produz café no país. Com clima próprio, a região tem recebido vários investimentos para o sector cafeícola. Recentemente, a União Europeia entregou, de forma directa, um financiamento avaliado em 49 milhões e 253 às Organizações Baiona, Cooperativa agrícola dos cafeicultores de Buco-Zau e a empresa AM Consulting, cujos projectos ligado à cadeia produtiva do café foram aprovados (de um total de sete seleccionados). As Organizações Baiona vão estar na cadeia do café com as plantas para a muda num total de um milhão para os próximos três anos, a cooperativa agrícola dos cafeicultores de Buco-Zau vai dedicar-se à colheita e secagem do café cereja e a empresa AM Consulting vai ocupar-se da transformação do café mabuba em pó, isto é, fazendo descasque, torrefacção, moagem e empacotamento.

No acto de entrega dos valores, realizado no Governo da província de Cabinda, foram assinados três acordos de financiamento pelo FAS e pelos três promotores. Testemunharam o evento o embaixador da União Europeia em Angola, Tomas Ulicny, e o governador provincial de Cabinda, Eugénio Laborinho. Na ocasião, a directora- geral adjunta do FAS, Helena Farinha, disse que no âmbito da doação da UE, a sua instituição formou e prestou assistência técnica directa aos municípios de Cabinda e Buco-Zau, até 31 de Março do corrente ano, com um investimento de Kz 31 milhões, 343 mil e 114.

Desse valor Kz 896 mil e 883 foram para a instalação das bases de dados dinâmicas nos dois municípios e na elaboração das linhas estratégicas de desenvolvimento no município de Buco-Zau, com enarquivo /op aís arquivo /opaís foque para a economia local, Kz 10 milhões, 168 mil e 400 para apoio à realização dos estudos económicos das linhas de base do sector económico produtivo de Cabinda e Buco- Zau e estudo da cadeia produtiva do café no município de Buco-Zau, e Kz 19 milhões de 277 mil e 831 no apoio à formação e kits de negócios a um total de 95 beneficiários de inclusão produtiva de Buco-Zau, dos quais 91 mulheres. Por seu turno, o governador provincial de Cabinda, Eugénio Laborinho, pediu ao embaixador da UE no sentido de dar uma atenção especial à província de Cabinda no que tange à formação profissional, nos ramos da Saúde e Educação, entre outros projectos que possam surgir. Tendo em conta os despedimentos que se registam no campo petrolífero de Malongo, devido à baixa do preço do petróleo, o governador solicitou o apoio da UE para o enquadramento destes jovens nos próximos projectos.

Últimas Notícias