loader

Segundo senador democrata apoia indicação de Haspel para a CIA nos EUA

Um segundo senador democrata assegurou neste Sábado que apoiaria a nomeação de Gina Haspel como nova chefe da Agência Central de Inteligência (CIA) dos Estados Unidos, apesar do seu papel nas torturas a suspeitos de pertencer à Al-Qaeda, com o que provavelmente outorga os votos necessários para confirmar a sua indicação.

Joe Donnelly, senador por Indiana, disse que Haspel “havia aprendido com o passado e que sob seu mandato a CIA pode ajudar” os Estados Unidos a lidar com as “ameaças e desafios internacionais”.

Haspel, indicada pelo Presidente Donald Trump para dirigir a CIA, prometeu na Quarta- feira, ante o Senado, que não voltaria a autorizar torturas durante os interrogatórios realizados pelo serviço de inteligência.

A indicada supervisionou entre 2001 e 2004 uma prisão secreta da CIA em Bangkok, onde os suspeitos de integrar a Al-Qaeda Abu Zubaydah e Abd al-Rahim al-Nashiri foram torturados de maneira reiterada com afogamentos durante longos interrogatórios.

Donnelly e Joe Machin, senador democrata da Virgínia Ocidental que também se mostrou favorável à nomeação de Haspel, buscam a reeleição nas eleições legislativas de Novembro em dois Estados tradicionalmente conservadores.

No lado republicano, Rand Paul, do Kentucky, e John Mc- Cain, do Arizona, opõem-se à nomeação. McCain, ex-piloto que foi torturado quando esteve detido em Hanói durante a Guerra do Vietname, pediu na Quarta-feira aos legisladores que rejeitassem a indicação de Haspel devido ao seu papel nas torturas a detidos.

Muito respeitado na política americana, é pouco provável que McCain possa votar, visto que luta contra um cancro no cérebro em sua casa no Arizona. Com o apoio de Donnelly, previsivelmente Haspel conseguirá os 50 votos necessários para ser confirmada como directora da CIA.

Últimas Notícias