loader

Congo aprova uso experimental de vacina contra o Ébola

A República Democrática do Congo concordou em permitir que a Organização Mundial da Saúde use uma vacina experimental contra o vírus Ébola para combater um surto anunciado na semana passada, disse o director-geral da OMS nesta Segunda-feira.

O objectivo é que as autoridades de saúde comecem a usar a vacina, onde seja enviada, até ao final da semana, ou na próxima semana se houver dificuldades, disse o director-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. “Temos acordo, registo, mais permissão de importação – tudo já foi formalmente aceite.

E como você sabe que a vacina é segura, eficaz e já foi testada. Então eu acho que todos nós podemos estar preparados “, disse ele. “Tudo está pronto agora para usá-la.”

O surto foi anunciado na semana passada em Bikoro, no noroeste do Congo. As autoridades de saúde viajaram para lá depois que o Ministério da Saúde da província de Equateur, no dia 3 de Maio, os alertou para 17 mortes por febre hemorrágica. Até 13 de Maio, o Congo registou 39 casos suspeitos, prováveis e confirmados de Ébola desde Abril, incluindo 19 mortes, informou a OMS.

Dois casos de Ébola foram confirmados. O Ministério da Saúde do Congo pediu que a OMS envie 4.000 doses da vacina, disse a porta-voz Jessyca Ilunga, que disse que eles devem chegar até ao final da semana.

“A campanha de vacinação começa na próxima semana, dependendo da logística, porque a vacina deve ser mantida a menos 60 graus Celsius, e precisamos garantir que a cadeia de frio seja garantida de Genebra a Bikoro”, disse ela. A campanha de vacinação contra o Ébola terá como alvo os profissionais de saúde, disse Ilunga. Três enfermeiras estão entre aquelas com casos suspeitos e uma entre os mortos.

As equipes no local já identificaram mais de 350 contactos, que são pessoas que tiveram contacto com os pacientes, disse ela. Laboratórios móveis foram implantados em Mbandaka e Bikoro no Sábado, disse ela, acrescentando que os resultados das primeiras 12 amostras testadas com esse método devem estar disponíveis amanhã (hoje). Este é o nono surto de Ébola no Congo desde 1976, quando a doença mortal foi identificada pela primeira vez.

O Congo tem um longo histórico com o Ébola, disse a OMS. O último surto que foi anunciado há um ano foi contido e declarado até Julho de 2017. Nenhum desses surtos foi relacionado ao surto maciço na Guiné, Libéria e Serra Leoa, que começou em 2014 e deixou mais de 11.300 mortos. Não há tratamento específico para o Ébola, que é transmitido através do corpo de pessoas que apresentam sintomas.

A nova vacina experimental, desenvolvida pelo governo canadiano e licenciada para a Merck, nos EUA, tem-se mostrado altamente eficaz contra o vírus. Foi testado na Guiné em 2015. Embora o surto congolês seja de uma cepa diferente, a vacina experimental ainda é considerada segura e eficaz.

O chefe da OMS, Tedros, liderou uma delegação que visitou a região afectada no Domingo. A área de saúde de Bikoro fica a cerca de 150 quilómetros de Mbandaka, capital da província de Equateur, e a 45 quilómetros de Ikoko Impenge, onde há outros casos suspeitos.

A OMS está a trabalhar com o governo do Congo e outras organizações internacionais, incluindo os Médicos Sem Fronteiras, para fortalecer a coordenação para combater e conter o surto de Ébola.

Últimas Notícias