FIDA emprega USD 7 milhões para apoio a famílias do Sul do país

Esta é uma nova oportunidade para pequenos agricultores angolanos aumentarem a segurança alimentar e serem mais resilientes à mudança climática, segundo documento do FIDA

Um novo acordo financeiro, firmado esta Terça-feira entre o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e Angola, visa aumentar a segurança alimentar e nutricional de cerca de 8 mil famílias rurais angolanas nas províncias de Benguela, Cunene e Huíla, segundo um documento enviado pelo FIDA desde Roma (Itália).

O acordo para o Projeto de Recuperação Agrícola (PRA) foi firmado em Roma por Gilbert F. Houngbo, Presidente do FIDA, e Florêncio Mariano da Conceição de Almeida, Embaixador e Representante Permanente de Angola no FIDA.

O custo total do projeto é USD 7,6 milhões, abrangendo um empréstimo de USD 5 milhões e uma doação de USD 1 milhão do FIDA. O projecto será cofinanciado pelo Governo de Angola (USD 0,7 milhão), pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (USD 0,5 milhão) e pelos próprios beneficiários (USD 0,4 milhão).

Em Angola, o sector agrícola contribui apenas 10%, em média, para o produto interno bruto (PIB) nacional e emprega 44% da população, segundo a nota. Além disso, mais da metade dos pobres de Angola está localizada em áreas rurais e dependem exclusivamente da agricultura de subsistência para sobreviver.

Durante os 40 anos de guerra civil em Angola, o sector agrícola foi devastado e a produtividade caiu. Desde o restabelecimento da paz em 2002, as autoridades angolanas têm envidado esforços substanciais para resolver esses problemas.

O novo PRA apoiado pelo FIDA ajudará os agricultores de subsistência a aumentar a produção e a produtividade das culturas e da pecuária. Além disso, o impacto das secas prolongadas até 2016 sobre a segurança alimentar foi catastrófico para milhões de habitantes na maioria das áreas do país.

O PRA também tratará da questão da insegurança alimentar agravada por repetidos eventos climáticos, como o El Niño (secas) e La Niña (inundações) nas áreas-alvo.

O projeto desenvolverá infra-estruturas de água por meio da reabilitação e reconstrução de fontes de água multiúsos. Além disso, ajudará os pequenos agricultores a desenvolver as habilidades de que necessitam para reduzir a sua vulnerabilidade aos choques relacionados ao clima.

O PRA também aproveitará o trabalho realizado no âmbito de diversos programas de emergência financiados pelo Governo de Angola e pelos parceiros de desenvolvimento.

Por meio dele, as famílias receberão dois pacotes generalizados: um pacote de segurança alimentar baseado em culturas e pacotes baseados no gado constituídos por aves domésticas, cabras, ovelhas e suínos, que variarão de acordo com o patrimônio de cada família. O projeto ajudará as comunidades a aumentar a produtividade das suas terras e a melhorar sua segurança alimentar mediante a diversificação dos meios de subsistência.

Desde 1991, o FIDA já financiou sete programas e projetos de desenvolvimento rural em Angola, com um custo total de USD 147,3 milhões e um investimento do FIDA de USD 82 milhões. Esses recursos beneficiaram diretamente 268.600 famílias rurais.