Linda Heywood aconselha angolanos a elevar conhecimentos sobre história de Angola

A investigadora norte-americana Linda Heywood afirmou, Terça-feira, em Lisboa, Portugal, que a sua obra científica “Njinga de Angola – A Rainha Guerreira de África” permitirá aos angolanos adquirirem mais conhecimento sobre a carismática rainha da região de Malanje.

Linda Heywood, que teceu tais considerações à margem de uma visita de cortesia a Embaixada de Angola em Portugal, salientou que na obra aborda pormenorizadamente a trajectória da Rainha Njinga e que contribuiu para dignificar o nome de África, em particular de Angola. A também professora de História e Estudos Africanos e da Diáspora na Universidade de Boston-EUA, considerou o livro uma biblioteca para os angolanos em particular e para os africanos em geral, servindo de fonte de pesquisa e de aprendizado sobre a cultura. Aconselhou os angolanos a realizarem mais investigações sobre as suas origens, de modo a elevarem o nível de conhecimentos e não deixarem morrer a sua rica história. O livro reúne documentos e dados que permitirão perceber a sua dimensão histórica, muitas vezes minimizada pelos historiadores europeus.

Linda Heywood encontra-se em Lisboa para um ciclo de eventos sobre as pesquisas realizadas em Angola em torno da Rainha Njinga a Mbande. No pretérito dia 9 de Maio, a investigadora participou num seminário realizado sob o tema “Pesquisando e escrevendo sobre a vida e a memória da Rainha Njinga: Perspectivas de Luanda e Lisboa”, a convite do Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Participaram no referido seminário a conselheira da República, Rosa Cruz e Silva, a escritora Ana Paula Tavares, o adido cultural Luandino Carvalho, funcionários dos serviços culturais da Embaixada de Angola, membros de associações e investigadores, professores e docentes universitários.

Linda Heywood é autora do livro “Contested Power in Angola”, (2000), no qual analisa do ponto de vista histórico, o papel dos Ovimbundu na política angolana, desde a colonização portuguesa até ao presente. No seu mais recente livro, debruçou- se na figura da guerreira e soberana do antigo Reino do Ndongo, “Njinga de Angola: A Guerreira de África” (Harvard University Press, 2017). Esta publicação resulta das investigações realizadas pela autora ao longo de várias décadas em Angola, com a colaboração de organismos do Ministério da Cultura, entre eles, o Arquivo Histórico. Os seus artigos sobre Angola foram publicados no Journal of African History, Journal of Modern African Studies, Slavery and Abolition e Journal of Southern African Studies.