loader

Mais de 60 angolanos formados com bolsa Mandela Washington Fellowship

Os contemplados juntar-se-ão a 700 outros jovens africanos que beneficiarão de cursos académicos e formação em liderança e participarão numa cimeira em Washington, de Junho a Agosto de 2018

POR: Stela Cambamba

Sessenta e três cidadãos angolanos, provenientes de diferentes províncias, beneficiaram do programa de bolsa de estudo YALI- Mandela Washington Fellowship, revelou ontem, em Luanda, a embaixada dos Estados Unidos da América (EUA). A embaixadora Nina Maria Fite presidiu uma cerimónia de apresentação pública dos 14 jovens angolanos, provenientes das províncias do Cunene, Benguela, Huíla, Luanda e Lunda-Sul, que serão contemplados este ano com bolsas de estudo nos EUA, juntando-se assim aos 49 já formados. Os beneficiados, entre os 25 e os 35 anos de idade, participarão numa formação intensiva sobre administração pública, empreendedorismo e liderança cívica em diversas instituições de ensino superior.

De acordo com Nina Maria Fite, depois de concluírem a formação em gestão de empresas/empreendedorismo e administração pública, os jovens Clara Silva, de Luanda, e José Eduardo, de Benguela, beneficiarão também de estágios em empresas americanas. Os contemplados partem no dia 20 de Junho para os EUA, onde se juntarão a 700 outros jovens africanos que beneficiarão de cursos académicos e formação em liderança e participarão numa cimeira em Washington, de Junho a Agosto de 2018. Nina Maria Fite explicou que a meta do seu Governo é promover o crescimento de África, capacitando e investido em jovens talentosos com conhecimentos profissionais e tecnologia, a fim de apoiar mudanças duradouras e progressos sustentáveis nas comunidades de onde são oriundos. “Este programa nos ajuda a atingir esse objectivo”, sublinhou.

Segundo a embaixadora, os jovens africanos impressionam nos seus feitos e na promoção da inovação e o impacto positivo que têm nas suas organizações, instituições e países. Entre os contemplados está Indira Narciso, que realizou o seu sonho de tornar as creches acessíveis, por vezes gratuitas, para a comunidade em que está inserida. Declarou a OPAÍS que os seus serviços proporcionam às mães economicamente desfavorecidas excelentes opções de cuidados para os seus filhos, de modos que possam voltar ao trabalho e sustentar a sua família. Nina Maria Fite disse aos 14 jovens que enquanto estiverem nos Estados Unidos serão embaixadores de Angola, sobretudo das suas comunidades, pelo que devem representar ao mais alto nível os angolanos. Por outro lado, aconselhou-os a aplicarem os novos conhecimentos para engrandecer o país e alcançar objectivos de desenvolvimento individuais e colectivos. De acordo com a diplomata, este ano o programa é especial para o seu país. Os Estados Unidos e Angola completam, amanhã, dia 19, 25 anos desde o estabelecimento de relações diplomáticas.

Os beneficiários

Beza Emanuel, de Luanda. Curso de Administração Pública

Alfredo do Rosário Capitamolo, da Huíla. Curso de Liderança

Clara Chipuco Chassungo Silva, de Luanda. Curso de Negócios e Empreendedorismo

Jeorgina Ariana Chiquequela, de Luanda. Curso de Liderança Cívica

Maria Malomalo, da Lunda Sul. Curso de Liderança Cívica

Wilson de Sousa Correia Marcelino, de Luanda. Curso de Negócios e Empreendedorismo

Maria Kassova Kambembua Muadilu, Luanda, Curso de Liderança Cívica.

Indira de Fátima De Lemos Narciso, de Luanda. Curso de Liderança Cívica.

Maria Megameno Nehale, do Cunene. Curso de Administração Pública.

Aldo Alberto Clemente Sambo, Luanda. Curso de Administração Pública

Jamba Martins Songanga, de Luanda. Curso na Universidade do Minnesota.

Doriel Flávio Holoca Da Fonseca, de Luanda. Curso de Negócios e Empreendedorismo.

Jérsia Livia Da Cruz Dos Santos de Sousa, de Luanda. Curso Negócios e Empreendedorismo.

José Manuel Fortes Eduardo, Benguela. Curso de Administração Pública.

Últimas Notícias