loader

Carta do leitor: A guerra voltou

Estimado senhor director, Eu vivia em Viana, por causa da violência mudei de casa, agora estou no Chimbicato, Camama, mas parece que também vamos ser corridos deste bairro. Quase todas as noites ouvimos tiros.

POR: Justino Kassonhi

Os bandidos estão demais, nem parece que temos Polícia neste país. Os bandidos não respeitam ninguém, não têm medo de nada. Mesmo quando a patrulha da Polícia passa, pouco depois já há tiros. Se não violaram aqui, é porque assaltaram aí. Algumas vezes são os seguranças das lojas que disparam para afugentar os bandidos. Mas, assim, vamos virar refugiados na mesma cidade? Há gente a abandonar algumas áreas de Cacuaco para fugir da confusão dos bandidos, outros fogem de Viana, como eu. Uns fogem do Cazenga e do Benfica. Agora eu vou ter de sair também de Camama? Vou viver onde? Não tenho dinheiro para ir viver na cidade, nem muito menos em Talatona ou Kilamba. Na cidade e em Talatona, mesmo quando falha a luz há mais paz, nos bairros a guerra voltou. À noite é só tiros, quase todos os dias. Não sei como é que o Governo vai fazer, mas está a dar medo. Falaram muito da recolha das armas, mas parece que ainda aumentaram mais as armas nas mãos dos bandidos. E como a corrupçãoo não está a ser corrigida, nem melhorada, os bandidos têm mais armas e usam quando querem. A Polícia só promete na rádio e na televisão o que vai acabar com o crime, mas nós, nos bairros, que vivemos a realidade, já sabemos que isso é só conversa. Sabemos também que os chefes da Polícia alguns são ricos. Só nos resta mesmo viver a vida de refugiados na cidade capital de um país que dizem que está em paz, mas que todos os dias tem gente que morre à bala.

Últimas Notícias