Yonamine expõe “N’Gola Cine” na Jahmek Contemporary Aart em Luanda

A mostra contemplando 12 telas mix media de 1 metro e 80 centímetros e duas instalações, é uma metáfora sarcástica que o autor nos propõe para analisar, com senso comum e olhar emancipado, a história mais recente de Angola

POR: Augusto Nunes

“N’gola Cine” é o título da exposição de pintura e instalação do artista plástico Yonamine inaugurada, esta Quinta-feira, na Jahmek Contemporary Aart, rua dos Coqueiros, em Luanda, e pode ser visitada até 23 de Junho. A colecção reúne 12 telas mix media de 1 metro e 80 e duas instalações. É uma metáfora sarcástica que o artista nos propõe para analisar, com senso comum e olhar emancipado, a história mais recente de Angola.

Atento a todos os pormenores desta criação de Yonamine, o historiador e crítico de Arte Adriano Mixinge entende que a exposição “N’gola Cine” também pode ser lida como uma exposição/instalação que representa a história de 43 anos de Independência Nacional (1975-2018) “estendida” – no sentido coloquial do calão luandense que significa criticar à exaustão, sem qualquer deferência que não seja aquela que os limites da estética e da reflexão política e artística impõem.

Adriano Mixinge admite que, nesta exposição, o artista inverte a sintaxe criativa a que nos tem habituado: onde ele acumulava, agora esvazia, onde ele organizava em forma de quadrículas, agora o faz unindo a irregularidade de contornos das palavras das frases, onde ele antes colava na parede, agora pendura ou estende, como se já tivesse lavado e purificado tudo, como se a realidade tivesse deixado de ser um lençol corrompido e insano. Mas, o espectador não deve perder de vista que toda a obra de Yonamine é a prova de uma cidadania artística, política e social comprometida e consciente das principais preocupações do seu tempo, do lugar da sua identidade e da sua mitologia individuais, em Angola e no mundo.

O artista

Nascido em Angola, em 1975, viveu no Zaire (RDC), Brasil e Reino Unido. Actualmente vive no Zimbábwe e trabalha entre Luanda, Lisboa e Berlim. A prática artística prolífica e diversa de Yonamine inclui pintura, desenho, graffiti, bodyart, fotografia, vídeo e outros. As suas instalações multimédia são diários pessoais. Actualmente, o seu trabalho é articulado por complexas instalações, murais de grandes dimensões, fotografias e vídeos. Nessas obras, o artista usa uma imensa variedade de objetos e materiais, como jornais, serigrafias, desenhos, colagens e traços, usando imagens da cultura POP, filmes americanos, personalidades e figuras políticas do continente africano e do mundo em sobreposição. Nesta grande mistura, o artista constrói um vocabulário peculiar sobre essas referências e suas próprias posições.