Angolanos representam 15% da taxa de ocupação em hotéis de São Tomé

O turismo de São Tomé foi apresentado na última semana em Luanda, pela empresa HBD, que firmou uma parceria com a TAAG no sentido de fomentar as actividades turísticas naquele país lusófono do Golfo da Guiné

Texto de: Miguel Kitari

A empresa gestora da rede hoteleira de São Tomé e Príncipe apresentou, em Luanda, as potencialidades do país, numa cerimónia que contou com a presença do director Comercial da TAAG, companhia que passa a ser parceira da HBD.

Na ocasião, o director de Marketing da HBD, Paulo Andrade, enumerou as vantagens de uma visita turística a São Tomé e a Ilha de Príncipe, cujos hotéis têm a gestão sob responsabilidade da empresa que representa.

“Em termos turísticos, São Tomé e Príncipe tem crescido muito ao nível da procura, desde Luanda e da África do Sul. Chegam também de outras partes do mundo, mas grande parte deles passam por Luanda, em trânsito, e chegam transportados pela TAAG”, realçou.

Apesar de não ser um turismo de massas e com cerca de 23 mil pessoas por ano, reforça que é um destino que tem sido muito procurado e que possui qualidade, atraindo cidadãos europeus e dos Estados Unidos da América.

Quanto aos angolanos, Paulo Andrade afirma que“ perto de 15% das nossas ocupações são feitas por cidadãos angolanos, pois estão a uma hora e meia de viagem das ilhas”, realçou.

A liderança, segundo ele, pertence aos portugueses, no entanto, não avança percentagem, acrescentando que suíços, alemãs, belgas, norte-americanos e brasileiros são as nacionalidades que afluem aos hotéis de São Tomé e Príncipe. Por ser um país tropical e estar sempre bom tempo, os hotéis têm sempre uma taxa de ocupação acima de 75%.

No entanto, refere que é no período de Dezembro a Abril que regista maior procura por alojamentos. Para ele, gerir hotéis em São Tomé e Príncipe, um país com poucas infraestruturas é um desafio. Todavia, assegura que os hotéis possuem condições para proporcionar condições mínimas aos seus clientes. Paulo Andrade afirmou que, no âmbito do acordo firmado com a companhia aérea de bandeira nacional, o que se pretende é prestar melhores serviços aos passageiros que voam para São Tomé.
Onde fica São Tomé e Príncipe? República Democrática de São Tomé e Príncipe é um Estado insular localizado no Golfo da Guiné, composto por duas ilhas principais e várias ilhotas, num total de 1001 km².

Não tem fronteiras terrestres, mas situa-se relativamente próximo das costas do Gabão, Guiné Equatorial, Camarões e Nigéria. A ilha de São Tomé é a maior e tem uma área de 859 km², sendo 65 km de comprimento e 35 km de largura.

O Príncipe possui uma superfície de 142km², 16 km de comprimento e 8 km de largura. A distância entre as duas ilhas é de cerca de 140 km estando a ilha do Príncipe localizada a Nordeste de São Tomé. As ilhas são resultado da actividade vulcânica , sendo a cratera da Lagoa D. Amélia em São Tomé testemunho de um passado bastante turbulento. Ambas as ilhas são oceânicas e nunca estiveram ligadas ao continente, estando isoladas por águas com profundidades superiores a 3000 m.

O Arquipélago apresenta um cenário imponente e majestoso resultante da exuberante vegetação tropical que constitui a sua principal referência paisagística, encontrando-se por entre a imensidão do verde de inúmeros vales, rios e riachos com cenários de rara beleza. As rochas expostas mais antigas do Príncipe têm cerca de 31 milhões de anos, enquanto os picos que caracterizam o Sul da ilha são o que resta de vulcões activos entre 6,9 e 3,5 milhões de anos atrás.