O enxame

Estão ferrar-nos mas só o sentiremos depois. De repente, Angola conhece uma nova profissão: palestrante.

POR: José Kaliengue

São aos montes e a cada dia surgem mais. A praga expande- se pelo país, os estragos serão contabilizados logo a seguir. Realmente, há gente capaz de tudo, depois dos pastores que nunca estudaram a bíblia, a nova forma de extorsão é vender o conhecimento que não se tem. Bandidagem pura. E há muita gente a pagar, na esperança de ouvir uma fórmula mágica do sucesso. Eles sabem o que fazem, põem-se bonitos, estudam e cuidam muito bem da indumentária, publicam fotografias de estúdio, decoram umas seis palavras em inglês, três clichés, ensaiam o sorriso e fazem publicidade de si mesmos. E aos vinte e poucos anos (quanto muito até aos 45) temos gurus made in Angola. Já recebi textos de alguns dos nossos palestrantes para publicar (vejam só a atrevimento), desgraça pura e reforçada. Gente solteira, nova, a passar receitas para casamentos puros, de sucesso, duradoiros e felizes. Haja lata! Fulanos que nunca tiveram um emprego a ensinar como vencer na vida e na empresa. Meros estagiários de jornalismo que depois surgem a falar sobre como comunicar bem, a dar aulas sobre jornalismo, locução, etc., etc., Muita gente vai pagar caro esta brincadeira. Gostaria de saber que experiências de gestão conta uma pessoa que nunca geriu uma padaria, não teve carreira, não é estudiosa de empresas… ya, caiu sobre nós um enxame ultra-perigoso. Fruto da crise, se calhar.