loader

Agressor de enfermeira condenado a cinco anos de prisão

O tribunal provincial do Bié condenou, Segunda-feira, o cidadão Diniz Silva, de 36 anos de idade, a cinco anos de prisão maior, pelocrime de ofensas corporais contra a enfermeira Laurinda Odeth, durante o exercício das suas funções no Hospital Geral do Bié, em Dezembro de 2017, que deprimida, suicidou-se no início do mês

A sentença proferida pelo juiz de Direito do Tribunal Provincial do Bié, Bento Domingos Camenhe, realça o conjunto de provas produzidas durante a preparação do processo, admitindo que tudo ficou provado nos autos, noticiou a ANGOP. Segundo alegações do Ministério Público, houve premeditação para a consumação do acto e milita ao seu favor a situação de réu primário.

A enfermeira Odeth Laurinda suicidou-se, no passado dia 8 de Maio, enquanto aguardava pela sentença do réu Diniz Sil
va, que agrediu-a na sequência da morte de sua filha no Hospital Geral do Bié, supostamente por negligência na assistência medicamentosa.

Antes do suicídio, segundo o irmão da vítima, Carlos Jonatão, de 41 anos de idade, Odeth Laurinda queixava-se de dores fortes no tórax, devido à lesão que sofreu na terceira vértebra resultante do espancamento e viveu ultimamente deprimida.

O advogado de defesa, Enoque Chivangue, manifestou inconformismo com a sentença, alegando que “o processo apresentou vícios”, pelo que deve interpor recurso para o Tribunal Supremo, com efeito suspensivo.

Por sua vez, o presidente da Ordem dos Enfermeiros de Angola (ORDENFA) no Bié, Eduardo Cayangula, presente na sessão, apelou aos cidadãos a denunciarem às autoridades competentes, sempre que virem os seus direitos violados pelos profissionais de saúde dentro dos hospitais, condenando, porém, a prática da justiça por mãos próprias.

Contudo, o responsável aconselhou aos técnicos de saúde na província a pautarem-se pela ética e a deontologia profissional, de modo a melhorar as relações com os utentes dos hospitais.

Últimas Notícias