loader

Cidadã violada por três e morta a tiro no Golf I

Engrácia André Botelho, de 22 anos, terá perdido a vida após ter sido abusada sexualmente por um grupo de três meliantes, no bairro Golf I, em Luanda, vítima de disparo com arma de fogo

POR: Romão Brandão

A história, em que a vítima mortal é a cidadã Engrácia Botelho, desenrola-se na madrugada de Terça-feira, 21, quando esta saiu para comprar velas numa cantina vizinha a sua casa, no bairro Golf I, na conhecida Rua da Escola do Lolô. Engrácia acabara de entrar em casa, depois de ter dado uma ajudinha a sua irmã mais velha que faz negócios numa Feira local. Ausentou-se da feira àquelas horas porque tinha que amamentar a sua última filha (de 9 meses). Infelizmente, o bairro está sem energia eléctrica, ainda assim dirigiu- se à cantina, onde se deparou com um grupo de quatro jovens armados que a abusaram sexualmente. Segundo o tio da vítima, Diogo André Botelho, de 60 anos, mesmo depois de violada, quando Engrácia estava de costas, os meliantes deram-lhe um tiro na cabeça.

“O tiro entrou pela nuca e saiu aa região do olho esquerdo. Minha sobrinha teve morte imediata”, declarou. O entrevistado avançou que tem conhecimento de que dois dos meliantes, dentre eles o que efectuou o disparo, estão a contas com a Polícia. Na esquadra da Polícia, o autor do disparo disse que tomou aquela atitude porque a vítima o reconhecera. Aquele meliante foi o único do grupo que tinha sido reconhecido pela vítima, porque vive nas proximidades do bairro em questão.

“Disseram que ele vive na zona do Largo da Aleluia. Os outros lhe disseram para irem embora, mas ele pediu a arma do colega e decidiu fazer o disparo”, reforçou. A família não sabe ao certo a que horas Engrácia morreu, mas a sua mãe recebeu a triste notícia às 4 horas da madrugada de Quarta-feira, de uma vizinha que lhe bateu a porta de casa alegando que a filha estava estendida no chão. O seu corpo foi encontrado a 100 metros de sua casa, com sinais visíveis de violação sexual. Apesar das dificuldades financeiras que a família vive, há probabilidades de vir a ser enterrada hoje, no Cemitério do Camama. Os meliantes, conta Diogo Botelho, ao consumarem o acto que vitimou a sua sobrinha, em declarações à Polícia, terão dito que, no mesmo bairro, nas imediações da Escola do Macedéu, furtaram vários telefones e outros bens aos transuentes.

A Polícia Nacional, na voz do director do Gabinete de Comunicação e Imagem do MININT, Mateus Rodrigues, confirmou, ontem, em conferência de imprensa, no acto de apresentação do balanço das operação de 08 a 22 de Março, a detenção de quatro indivíduos, com idades compreendidas entre os 17 e 18 anos. “Estão detidos por homicídio voluntário, concorrido com violação sexual, no município do Kilamba Kiaxi, Golf I, sub zona 9, por volta das 5h, tendo a vítima sido antes ameaçada com arma de fogo, levada a um local baldio. Consumaram a violação três elementos que a posterior fizeram um disparo com arma de fogo”, declarou em conferência de imprensa.

“Precisamos de muitas esquadras móveis”

A vizinhança foi unânime em referir à nossa equipa de reportagem que o bairro Golf I, em toda a sua extensão, é perigoso. Nos últimos dias a situação tem vindo a agravar-se, com a falta de energia eléctrica e de iluminação pública, pois quando se chega às 19h os moradores já não conseguem movimentar- se. A onda de delitos requer que sejam colocadas “muitas esquadras móveis no bairro”, visto que a que se encontra nas imediações do Mercado dos Correios. A Polícia, para além de estar distante, não tem sido suficiente para dar resposta à insegurança que tomou conta da zona. Pedem também que se faça mais policiamento de proximidade, principalmente no período da noite.

Últimas Notícias