loader

Análise Diária: reduziu de 21% para 19% o coeficiente de reservas obrigatórias em moeda nacional

A decisão do Comité de Política Monetária (CPM) poderá reflectir a necessidade de aumentar a liquidez no mercado monetário

POR: Atlantico

Espaço Angola

O Comité de Política Monetária (CPM) reduziu de 21% para 19% o coeficiente de reservas obrigatórias em moeda nacional aplicado sobre os depósitos dos clientes dos bancos comerciais. O superavit da conta de bens referente ao mês de Abril registou uma redução de 17,8% face ao período anterior, fixando-se em 2,17 mil milhões USD.

Espaço internacional

EUA: Os pedidos iniciais de subsídio de desemprego apurados ao longo da semana transacta registaram um ligeiro incremento de 4,93%, situando- se em 234 mil solicitações.  Alemanha: O crescimento económico referente ao primeiro trimestre de 2018 atingiu 0,3%, uma desaceleração em comparação a expansão de 0,6% concernente ao último trimestre de 2017.

Visão Atlantico

O Comité de Política Monetária (CPM) reduziu de 21% para 19% o coeficiente de reservas obrigatórias em moeda nacional aplicado sobre os depósitos dos clientes dos bancos comerciais. A decisão do CPM poderá reflectir a necessidade de incremento da liquidez no mercado monetário, depois da combinação da depreciação do Kwanza, constituição de reservas obrigatórias sem a inclusão de títulos do tesouro, ter enxugado liquidez no mercado interbancário. Por outro lado, a desaceleração da inflação, em 1,16% em Abril, e a revisão em baixa das taxas de crescimento económica de 2017 em 2,5%, segundo dados do INE, poderão ter contribuído para a decisão.De realçar que o coeficiente de reservas obrigatórias é um instrumento por excelência para a regularização da massa monetária em circulação, através da base monetária em moeda nacional, o instrumento operacional de política monetária do BNA, com efeitos na liquidez dos bancos comercias e nas taxas de juro.

  Os pedidos iniciais de subsídio de desemprego apurados ao longo da semana transacta registaram um incremento de 4,93%, situando-se em 234 mil solicitações. O aumento dos pedidos de subsídios de pessoas desempregadas nos Estados Unidos da América, o que representa o segundo aumento consecutivo nas últimas duas semanas, e o maior nas últimas sete semanas, poderá reflectir constrangimentos no mercado de trabalho, depois da taxa de desemprego ter atingido os 3,9% em Abril último, nível inferior desde o ano de 2000. De realçar que a evolução do mercado trabalho é um forte indicador sobre o desempenho da economia, onde as situações de aumento contínuo dos níveis de pedidos de subsídio de desemprego representam uma inversão da trajectória do desempenho da economia.

Últimas Notícias