loader

MIREX vai adoptar modelo de embaixadas regionais

O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, anunciou ontem em Luanda, estar previsto pelo seu pelouro este ano a adopção de um novo figurino de embaixadas regionais com vista a diminuir o número de representações diplomáticas do país no exterior, tendo em vista a racionalização de despesas referentes à nova política

“Nós vamos, do ponto de vista técnico, privilegiar a representação regional, isto é, temos uma embaixada residente numa determinada área ou país e esta embaixada ocupar-se-á de outros países naquela área ou região da sua acreditação”, disse o chefe da diplomacia angolana em entrevista difundida no programa Sábados às 10 e 10, da Rádio Nacional de Angola (RNA).

“Já tínhamos representações regionais, mas muitas vezes baseadas em outros pressupostos. Hoje estamos também neste trabalho de redistribuir a representação regional. É um trabalho quase feito. As pessoas já estão avisadas. Estamos a comunicar as regiões dos países acreditadores”, sublinhou.

Garantiu igualmente que o trabalho de movimentação dos quadros diplomáticos está praticamente concluído, tendo sido já identificados, caso a caso, os funcionários que devem regressar ao país com base no novo critério de abordagem. O plano de redimensionamento enquadra-se no objectivo da redução considerável de funcionários que se encontram nas missões diplomáticas e deve acontecer tão logo existam valores monetários.

“Nós precisamos de dinheiro para fazer a movimentação e este dinheiro não existe. O país tem muitas prioridades e tem pouco dinheiro. Assim entendido nós teremos de adaptar as nossas prioridades às disponibilidades e à realidade da tesouraria do país. Estão identificados os diplomatas e outros trabalhadores que têm de regressar. O trabalho de casa está feito”, disse ainda Manuel Augusto.

O Mirex redefine regras para apoio protocolar às entidades em missões no exterior e, por outro lado, estabeleceu que doravante as entidades que se deslocarem ao exterior em missão oficial e pretenderem obter apoio protocolar das Missões Diplomáticas e Consulares de Angola nesses países, deverão fazê-lo por meio de uma solicitação ao Ministério das Relações Exteriores (Mirex) para uma eventual autorização.

Este facto foi dado a conhecer pelo ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, quando intervinha na cerimónia de encerramento da VIII Reunião de Embaixadores, que a capital angolana acolheu desde Quarta-feira transacta.

Manuel Augusto acrescentou que, com excepção dos órgãos de soberania e dos ministros de Estado, bem como nas deslocações de serviço previamente autorizadas pelo Chefe de Estado, será determinado o fim do apoio protocolar prestado pelas missões diplomáticas e consulares às entidades que se desloquem em missão oficial de serviço para o exterior.

Por este facto, acrescentou, será elaborada pelo Mirex, brevemente, uma circular contendo as novas normas a este respeito, isto no quadro a nova dinâmica que se pretende para o sector reiterada pelo Presidente da República na sua intervenção na cerimónia de abertura.

Últimas Notícias