ANGOLA E FRANÇA BUSCAM PARCERIA ESTRATÉGICA

Os Presidentes João Lourenço e Emmanuel Macron testemunharam ontem a assinatura de acordos de cooperação entre os dois países

  • Texto de: Rila Berta, em Paris
  • Foto de: Carlos Moco

O primeiro acordo é no ambito da Defesa; o segundo é aditivo ao acordo assinado entre os governos da república francesa e o angolano assinado em Julho de 2017, no ambito do acordo de estabelecimento da “promoção e participação para a cooperação económica (PrOPArcO), filial da AFD para o sector privado; foi de igual modo assinada uma “convenção da agência francesa de desenvolvimento (AFD) no domínio da Agricultura; foi ainda assinada uma convenção com a agência francesa de desenvolvimento sobre a subvenção dos estudos”.

Em seguida, os dois chefes de Estado manterão um encontro privado, seguindo-se, a posterior, a assinatura de acordos como o de “cooperação no domínio da Defesa”; a; bem como acordo de estabelecimento da “promoção e participação para a cooperação económica (PrOPArcO), filial da AFD para o sector privado. Posteriormente, o Presidente da república visitou a sede da Assembleia Nacional francesa, se encontrou com o presidente do referido órgão legislador, François de rugy.

A agenda do chefe de Estado incluiu uma vista às instalações do movimento de empresas francesas, medef International, e testemunhou a assinatura de acordos de cooperação entre a Sonangol e a Total, no domínio de serviços de distribuição de comsbustíveis e de atribuição de bolsas a estudantes angolanos.

Foi, igualmente, realizado, ontem um encontro entre cerca de 80 empresários franceses e 20 empresários angolanos. Após assinatura dos protocolos, João lourenço e Emmanuel macron falaram à imprensa, tendo reafirmado o engajamento dos dois países em ver os acordos consumados para a satisfação dos angolanos e franceses em todas as áreas do conhecimento. Segundo o estadista angolano, o país que dirige pretende estabelecer com a França uma verdadeira parceria estratégica, sustentada no reforço dos laços de amizade e de cooperação nos sectores da educação, cultura, política, defesa e segurança, principalmente a parte económica e empresarial.

João lourenço explicou as razões da escolha de Paris para início da digressão pelos países da União Europeia, apontando que isso serve como sinal de confiança e comprometimento aos princípios discutidos e assumidos pelas duas nações.

Convidou o empresariado privado de ambos países a investir nos dois sentidos e agradeceu o interesse de mais de 80 principais empresas francesas presentes na agenda de trabalho, o que faz acreditar no sucesso dos acordos assinados.

Por outro lado, destacou a vontade de Angola estreitar as relações para afirmar-se como membro-observador da Organização Internacional da Francofonia, pelo importante papel que esta instituição joga no mundo, sobretudo em África. “No nosso lado, tudo faremos para que os importantes acordos assinados não fiquem apenas no papel”, concluíu João lourenço, ladeado pelo anfitrião Emmanuel macron.

Por sua vez, o Presidente francês mostrou inteira disponibilidade para incrementar a cooperação com Angola, reconhecendo que o estadista visitante terá todo o seu apoio para desenvolver as áreas de interesse comum.

Macron disse que a França tem acompanhado e encorajado o empenho de Angola na estabilização das sub-regiões em África, principalmente na África central e África Austral.