Mais de 800 empresários angolanos buscam negócios na China com apoio do Banco SOL

Empresários angolanos afectos à Câmara de Comércio Angola- China (CAC) poderão ver facilitada a aquisição de divisas para custear viagens de negócios na República Popular da China, fruto de uma parceria da agremiação de empresários com o Banco Sol

Texto de: Helder Caculo

Câmara de Comércio Angola- China (CAC) vai assinar, em Junho, um acordo de parceria com a Agência Sol Turismo, afecta ao banco com o mesmo nome, liderado por Coutinho Nobre Miguel, na perspectiva de promover as trocas comerciais entre os dois países Em declarações a OPAÍS, o vicepresidente da CAC, Luis Gomes dos Santos, vincou que o objectivo do referido acordo é promover as relações comerciais entre os dois países que actualmente vive um declínio, resultante da actual crise económico- financeira.

“Se nos colocarmos na posição de consumidores, verificamos que nos últimos tempos tem se registado um decréscimo na relação comercial entre Angola e China, particularmente para os agentes económicos que operam no comércio e que pretendem trazer mercadorias da China para Angola. E este decréscimo resulta da situação económica e financeira que o país enfrenta”, referiu.

“O Banco Sol é nosso associado, e esta parceria pretende facilitar a aquisição de divisas para custear as despesas dos empresários que quiserem deslocar- se à China para negócios”, assinalou.

O responsável disse que este ano os chineses farão mais 100 milhões de viagens ao estrangeiro, movimentando cerca de USD 102 mil milhões. Referiu que actualmente a CAC conta com 800 empresários angolanos e 200 chineses. O objectivo é que este número se multiplique para 5.000 nos próximos anos.

Balança Comercial em queda

Sem avançar números, o vice-presidente da Câmara comercial admitiu que nos últimos tempos a balança comercial entre Angola e China tem registado queda, em resultado do actual momento macroeconómico.

Daí o objectivo da CAC fomentar as trocas comerciais entre os dois países. Em 2017, as trocas comerciais entre Angola e a China aumentaram acima de 43% totalizando USD 22,34 mil milhões, segundo estatísticas dos Serviços da Alfândega da China.