INALUD trabalha com crianças no combate às drogas

Em alusão ao 31 de Maio, “Dia Internacional Sem Tabaco”, o Instituto Nacional de Luta contra as Drogas (INALUD), realizou o “Concurso de Redacção e Desenho”, com a finalidade de ensinar os prejuízos causados pelo uso do tabaco, através de actividades lúdicas às crianças

POR: Stela Cambamba

Trata-se da 4ª edição do concurso, onde participaram três Escolas do Iº Ciclo do município de Luanda, sediadas na Samba, nomeadamente 1009, 1007 e 1003, cujos vencedores foram apresentados ontem, na sede do INALUD, em Talatona.

A directora geral do INALUD, Ana Graça, explicou que vão continuar a trabalhar no combate às drogas, tendo em conta as orientações ao nível internacional, e quando desde pequeninos, melhor. É nesta idade que devem começar a perceber a necessidade de não consumirem drogas, quer sejam estupefacientes ou as bebidas. O concurso é uma das formas de educar as crianças, e a primeira classificada desta 4ª edição é Ana Paula Saldanha Sebastião, de 10 anos, da 6ª Classe, escola 1003.

A menina contou com a ajuda da mãe para elaborar a tarefa que lhe permitiu participar na actividade. Encoraja os seus colegas a participar em eventos desta natureza, também para saberem mais sobre as consequências do uso das drogas. Jeferson Domingos, 12 anos, estudante da 6ª classe na escola 1007, participa em concursos desta natureza com alguma regularidade, e neste ano, o seu pai ajudou e confiou-lhe a responsabilidade de vencer. Por agora, sente-se feliz em poder concretizar o desejo de ser um dos vencedores e saber mais sobre os perigos do tabaco.

O país registou mais de duas mil mortes por doenças cardiovasculares

Eva Pascoal, representante da Organização Mundial da Saúde (OMS), explicou que as doenças cardiovasculares matam mais pessoas que qualquer outra causa de morte, e o consumo de tabaco, assim como exposição ao fumo, contribuem com aproximadamente 12% de todas as mortes por estas doenças. O consumo de tabaco é a segunda causa de doença cardiovascular depois da hipertensão. Em Angola estima-se que as doenças cardiovascular tenham sido responsáveis por cerca de 2.340 mortes, em 2016. Acções para o controlo do tabaco irão prevenir que a população jovem inicie o consumo, assim como ajudará que os actuais consumidores deixem de o fazer e assim proteger os não fumadores a uma exposição ao fumo. Não existem condições de segurança para as pessoas, particularmente crianças, mulheres e trabalhadores que partilham o espaço com os fumadores. Aproximadamente 80% dos mais de um bilião de fumadores ao nível mundial vive em países de rendimento baixo e médio em que o peso da doença e mortes associadas ao tabaco é elevada.