Carta do leitor: Mais dignidade aos funcionários…

Agradeço a direcção do jornal O PAÍS pelo espaço que me concede nesta edição de Sábado. Escrevo a partir da cidade Ondjiva, província do Cunene, terra do meu cordão umbilical.

POR: Manuel Xangongo, Ondjiva

A greve dos oficiais de justiça terminou ontem, mas, ao que parece sem consenso entre o Sindicanto dos Oficiais de Justiça de Angola e Ministério da Justiça, entidade patronal. Penso que o senhor ministro, Francisco Queiroz, se consultar os seus contabilistas, vai perceber quanto entra para os cofres da justiça. Ao ler esta Carta do Leitor, vai dizer que os funcionários têm taxas emolumentadas nos actos que praticam. É verdade. Mas, não concordo, porque ela não se reflecte nas condições que se pretende para os trabalhadores. Que o Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos pensem antes nisso, pois as condições dos trabalhadores não são das melhores. O que se arrecada é a regra, mas a excepção é pagar mal os funcionários à luz de tabelas muito discrepantes. Que as discussões terminem em benefício da colectividade, aliás vai ganhar Angola e o seu povo. O país enfrenta uma crise financeira e económica sem precedentes, reconheço, mas o sector tem capacidade para melhorar as condições dos seus funcionários. Consulte senhor ministro os seus contabilistas. Por isso, a roda já foi inventada, no entanto sejam mais humanos e deixem de olhar para os funcionários como se fossem animais. A dignidade humana tem mais valor do que qualquer outra coisa, por isso defendo a posição do SOJA. Fiquei triste ao ouvir um chefe máximo do Ministério da Justiça a balbuciar coisas que ele próprio como jurista não domina, aliás, está no sector há pouco menos de um ano. Era preferível ficar calado que fazer “show off” sem plateia. Haja justiça!