Angola LNG atinge receitas de USD 1,5 mil milhões em 2017

Instalado no município do Soyo, província do Zaire, o projecto produz gás de cozinha para o mercado nacional

POR: Brenda Sambo

O projecto de produção de Gás Natural Liquefeito Angola- LNG atingiu receitas avaliadas em mais de USD 1.5 mil milhões em 2017, revelou o director executivo da Angola LNG, Artur Pereira. Sem avançar números, o responsável considerou que os benefícios alcançados pela fábrica no ano transacto foram positivos. Segundo Artur Pereira que falava ontem, em Luanda, durante a apresentação sobre “O papel estratégico da Angola LNG no desenvolvimento da indústria de gás”, “Oogás de cozinha utilizado actualmente em todo país é produzido pela Angola LNG”. Neste momento, prosseguiu, a fábrica funciona acima de 70% da sua capacidade instalada, referindo que quando estiver no máximo da sua capacidade poderá responder às necessidades do mercado.

Avançou que a fábrica tornou-se auto-sustentável, pois que deixou de recorrer aos recursos financeiros dos accionistas. “A situação actual da empresa é estável, ao nível financeiro ela é autónoma e auto-suficiente”, afirmou, no entanto, realça que a Angola LNG vai passar a comprar gás. Em relação ao papel da empresa, adianta que a Angola LNG faz a interligação entre a produção petrolífera offshore e a indústria interna. No seu entender, há cada vez mais necessidade de uma maior exploração dos recursos para que haja mais descobertas e, assim, o país mantenha os níveis de produção em termos de petróleo e do gás.

“Ao contrário de outros recursos, o gás é a energia do futuro e o desafio é continuar a demonstrar como este recurso poderá ser aproveitado para no país”, sublinhou. Apesar disso, ressalva, a empresa viveu maus momentos no período entre 2013 e 2016, o que considerou um período de bastante reflexão profunda em termos de actuação. Angola LNG já financiou cerca de USD 350 milhões em projectos socais Ao nível dos projectos de responsabilidade social, a empresa contribuiu para a reabilitação de estradas, para a construção do hospital geral do município do Soyo, onde financiou cerca de USD 75 milhões, e também para a construção de um projecto habitacional de 400 casas na mesma municipalidade.

Sobre o projecto

Fruto de um investimento de USD 10 mil milhões, o projecto Angola LNG visa, anualmente, recolher, processar e lançar no mercado global 5,2 milhões de toneladas de GNL, contribuindo para o aproveitamento do gás que antes era eliminado pela queima, permitindo assim o desenvolvimento de reservas de petróleo de uma forma mais sustentável.