loader

Polícia recolhe 30 armas de fogo em duas semanas

O Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional apresentou ontem, em conferência de imprensa, 71 suspeitos de terem praticados diversos crimes, entre os quais homicídios, e os bens que alegadamente os cidadãos mortos por dois agentes, na semana passada, usavam para praticar delitos

POR: Maria Teixeira

Dezassete metralhadoras AKM, cinco pistolas Macarov, três Jericho, duas Barack, uma TT, uma Taurus e uma Walter, acompanhadas de 22 munições, bem como três armas brancas, fazem parte do arsenal bélico que os efectivos da Polícia Nacional de Luanda recuperaram, nas últimas duas semanas, das mãos de supostos marginais. Esta revelação foi feita ontem pelo intendente Mateus Rodrigues, ao apresentar o balanço de várias operações realizadas de 22 de Maio a 6 de Junho, em diversos municípios da capital do país, no âmbito do combate à criminalidade violenta. Durante o período em referência, as forças da ordem detiveram 71 suspeitos de terem praticado crimes de homicídio, roubos e furtos, de porte e uso ilegal de armas de fogo, entre outros.

A situação de segurança em Luanda, nos últimos dias, tem sido marcada pela ocorrência de crimes violentos em grande parte cometidos com recurso a armas de fogo e, alguns deles, com violência excessiva. “Isso tem causado um grande impacto naquilo que é o sentimento de segurança dos cidadãos, mas tudo tem sido feito no sentido de tranquilizar a população de Luanda. Temos levado a cabo várias operações quer ao nível da Polícia quer ao nível do SPIC”, declarou o director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa da delegação local do Ministério do Interior. Mateus Rodrigues explicou que a operação vai prosseguir até que o sentimento de segurança seja restabelecido no seio da população. Pelo que, apela aos pais e encarregados de educação a colaborarem com a Polícia, no sentido de prevenirem a constituição de grupos que darão origem a rixas que colocam em causa a vida humana.

Atendendo à quantidade de denúncias de casos de furto de viaturas que semanalmente chegam às unidades, o intendente adverte aos automobilistas a instalarem o dispositivo de localização electrónica, vulgo GPS. A título de exemplo, contou que durante os últimos 15 dias, a contar de 22 de Maio, foram recuperadas seis viaturas furtadas e roubadas dos seus legítimos proprietários. Entre as quais, uma viatura de marca Toyota Hilux, de cor preta, que foi roubada e utilizada na prática de vários actos criminosos. Os municípios de Viana, Cazenga, Cacuaco, Talatona e Belas são os que registam maior incidência criminal ao nível da província de Luanda.

“Cuna Mata é mito”

As informações postas a circular na internet, a semana passada, segundo a qual, um suposto grupo de presos fugitivos, denominados “Cuna Mata”, estava a atacar alunos com objectos cortantes contaminados, não passou de um mito urbano, de acordo com Mateus Rodrigues. O intendente esclareceu que não foram localizadas quaisquer vítimas e o Ministério da Educação não perdeu nenhum quadro, no caso, professor ou aluno no período em referência por conta de tais práticas. “Não deu entrada nos hospitais ninguém ferido nos termos em que as informações fazem referência. Trata-se de informação falsa”, disse.

Últimas Notícias