loader

Congresso do MPLA vai combater as maledicências

O secretário para a política de quadros do Bureau Político do MPLA, Bento Bento, disse ontem, Sábado, em Malanje, que a realização do vi Congresso Extraordinário do MPLA, que ditará a transição na presidência do partido, vai reafirmar a unidade no seio dos militantes e combater a mentira, intriga e calúnia a que a organização tem sido alvo

Falando na cerimónia de encerramento da III Reunião Extraordinária do Comité Provincial do MPLA, e citado pela ANGOP, o político disse que toda a massa militante está unida em volta do futuro líder do partido, João Manuel Gonçalves Lourenço. Por outro lado, fez saber que a realização das eleições autárquicas, em 2020, representa um desafio para o partido, daí a necessidade do apoio ao futuro presidente da organização, a fim de se conquistar resultados favoráveis.

Na ocasião, o primeiro secretário provincial do MPLA, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, descartou a possibilidade de haver perturbações em torno da transição na liderança do partido, uma vez que o MPLA dispõe de maturidade e bastante disciplina para conduzir o processo de forma pacífica. Fez saber que o partido mantém a unidade no seu seio, para que a mudança, a ser feita no congresso de Setembro próximo, seja um exemplo e reflicta a experiência que a organização ganhou ao longo dos anos.

Norberto dos Santos enfatizou, por outro lado, o apoio que as estruturas do partido vão prestar ao futuro líder do partido, João Manuel Gonçalves Lourenço, tal como sucede com o actual presidente, José Eduardo dos Santos, visando a materialização dos programas do MPLA..

Durante a sua intervenção, “Kwata Kanawa” disse ser justo reconhecer a trajectória de José Eduardo dos Santos, que desde 1979 assumiu a liderança do MPLA e da República, pelo que se deve elevar os seus feitos que ditaram o alcance da paz, unidade, reconciliação e reconstrução nacional, bem como a criação das bases para o desenvolvimento do país.

Entretanto, o secretário provincial do MPLA recordou que as eleições autárquicas, previstas para 2020, afiguram-se como um grande desafio para o partido e que deve ser vencido, pelo que defendeu a necessidade constante de esclarecimentos aos militantes sobre os fundamentos da sua implementação gradual.

Considerou a implementação simultânea em todos os municípios como sendo impossível, tendo em conta a escassez de quadros, justificando, assim, o gradualismo como o princípio que contribui para dar resposta às necessidades da população.

A III Reunião Extraordinária do MPLA visou apreciar e aprovar a resolução sobre a realização do VI Congresso Extraordinário do MPLA e o cronograma de tarefas a serem desenvolvidas, bem como a resolução sobre a consulta aos órgãos intermédios e as organizações de base do partido e o programa de homenagem ao actual presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos. No encontro, foi igualmente aprovada a lista de delegados ao VI Congresso Extraordinário do MPLA.

Últimas Notícias