loader

Observatório de Justiça promove marcha contra violência social

O observatório para Coesão Social e Justiça(OCSJ) realiza Sábado, 16, às 10 horas, em Luanda, uma Marcha Silenciosa e Pacífica, contra a violência e a banalização da criminalidade em Angola

Texto de: Maria Custódia

Com a duração de uma hora e meia, a marcha partirá do Porto de Luanda, na Avenida Marginal, e culminará no Largo do Baleizão, contando com a participação de instituições públicas, organizações da Sociedade Civil (igrejas, ONG e associações profissionais).

O presidente do Observatório, Zola Bambi Ferreira, disse a OPAÍS que a marcha tem como objectivo lutar contra todo o tipo de violência social e criminalidade que nos últimos tempos têm registado números preocupantes em todo o país.

Zola Bambi, que é advogado de profissão e especialmente em direitos humanos, afirmou que esta violência é caracterizada especificamente por homicídios, desaparecimentos forçados, torturas, execuções sumárias, agressões físicas e verbais.

Outros crimes como sequestros e raptos, violações sexuais, detenções, prisões ilegais e outras formas de maus tratos, perpetrados por particulares, assim como por funcionários ou agentes investidos de poder de Estado, assim como por instituições, engrossam o leque de actos violentos Acrescentou que esta situação está a provocar graves problemas na sociedade, sendo que alguns casos têm tido a resposta adequada para se repor a legalidade por parte das autoridades competentes, enquanto outros não.

A violência tem o seu foco nas comunidades, instituições públicas como esquadras policiais, centros de reclusão e outras, em todo o país, segundo o advogado Zola Bambi. Denunciou que no dia 2 de Maio deste ano, uma advogada, funcionária do Observatório e auxiliar de justiça, quando em exercício das suas funções e revestida de imunidades garantidas constitucionalmente, foi alvo de tentativa de sequestro e agressões.

A tentativa de sequestro foi protagonizada por dois efectivos do Serviço de Investigação Criminal(SIC), bem identificados, afectos à 4ª Esquadra da Polícia Nacional(PN) do distrito urbano da Ingombota, e só não se consumou porque foi abortado por terceiros, disse.

Este, segundo Zola Bambi, é apenas um dos muitos casos de violência, dentre os vários que acontecem, sobretudo contra cidadãos indefesos. Alertou que, apesar destas revelações, a marcha não será contra a Polícia Nacional, mas para chamar a atenção sobre este fenómeno, que, segundo ele, não escolhe ninguém.

O observatório

O Observatório para Coesão Social e Justiça(OCSJ) é uma organização da sociedade civil vocacionada para a defesa e promoção da coesão social, dos direitos humanos, a difusão da cultura jurídica e cidadã. Zela também pela solidariedade social, integração, coabitação, segurança jurídica e luta contra as desigualdades em salvaguarda dos direitos de todos os cidadãos e particularmente dos mais desfavorecidos

Últimas Notícias