FAS e IFAL formam técnicos das administrações municipais na Huíla

A acção formativa está a ser orientada por especialistas nacionais e decorre na cidade do Lubango, capital da província da Huíla

POR: João Katombela, no Lubango

O Fundo de Apoio Social (FAS) e o Instituto de Formação de Administração Local (IFAL) formam, desde Terça-feira, 12, técnicos e quadros das administrações municipais da Huíla em matérias ligadas ao Sistema de Informação Básica Municipal (SIBM). A acção formativa, que decorre de 12 a 15 do mês em curso, enquadra- se nas atribuições das duas instituições viradas para a formação e capacitação dos técnicos e agentes da Administração Local do Estado. Segundo o director provincial do FAS na Huíla, Frederico Sanumbutue, a acção tem como objectivo principal aperfeiçoar continuamente as capacidades e as técnicas dos funcionários das administrações municipais.

Neste primeiro curso participam 28 funcionários, vindos dos municípios de Cacula, Caluquembe, Gambos, Humpata, Quipungo, Caconda, Chibia, Quilengues e Lubango (anfitrião). O responsável revelou que durante o seminário serão abordados temas como Sistema de Gestão Interface e Sistema de Informação Básica Municipal. O Sistema de Informação Básica Municipal (SIBM) foi apresentado e validado em 2017, pelo Ministério da Administração do Território e Reforma do Estado. Frederico Sanumbutue declarou ainda que o SIBM será implementado nos 164 municípios do país, nove dos quais são da província da Huíla e fazem parte dos municípios piloto.

A extensão deste sistema permitirá que os gestores municipais tenham competências para dispor de toda a informação recolhida nas suas áreas de jurisdição de forma segura, estruturada e sistematizada em formato de indicadores. São indicadores de estatísticas dos diferentes sectores, entre mapas, relatórios, perfis municipais e estudos do sector económico. Este sistema começou a ser implementado em 2014 e decorre da necessidade de uma plataforma de recolha e tratamento de dados como suporte à planificação, gestão municipal e diagnósticos institucional da administração do território de modo célere, automatizado e fidedigno.

Sobre o FAS

O Fundo de Apoio Social (FAS), criado em 28 de Outubro de 1994, ao abrigo do Decreto 44/94 do Conselho de Ministros, é uma agência governamental dotada de personalidade jurídica e autonomia financeira e administrativa. Os seus objectivos estão virados para programas de combate à pobreza, contribuir para a promoção do desenvolvimento sustentável e redução da pobreza. O FAS focaliza a sua actuação na demanda da comunidade, dirigindo as suas actividades ao investimento social nas áreas de educação, água e saneamento, saúde, infra-estruturas económicas e ambientais. A sua intervenção regista-se nas dezoito províncias de Angola, através de escritórios províncias e antenas. A implementação do FAS conta com o suporte financeiro de diferentes fontes, entre os quais, dotações do Governo de Angola, créditos do Banco Mundial e doações da União Europeia, Noruega, Suécia, Japão, Itália, Holanda, Chevron, British Petroleum, Shell, PNUD e USAID.