“Kabila tem até 30 de Junho para esclarecer o equívoco do seu provável terceiro mandato”

Mais de 100 académicos congoleses dizem não a um possível terceiro mandato de Kabila Kabila presidente do Congo

Numa declaração publicada Quinta-feira, 14 de Junho de 2018, o Comité Leigo de Coordenação (CLC) pede a Joseph Kabila que “esclareça o equívoco” sobre um provável terceiro mandato à frente da RDC, noticia o jornal Actualité.

O CLC promete tirar todas as consequências caso o Presidente da República não se pronuncie sobre a sua intenção de concorrer a um novo mandato ou não. “O CLC espera que a 30 de Junho, o Presidente Kabila esclareça o equívoco sobre o seu terceiro mandato e prove que realmente é o garante do bom funcionamento das instituições e estabilidade no país e na região. Para a CENI implementar as recomendações da auditoria da OIF, o Governo deverá fornecer um plano de desembolso tranqüilizador para o financiamento das eleições e resolver todas as questões relacionadas com a lista de partidos políticos e coligações.

Se estas instituições não conseguirem atingir estes objectivos, cada uma delas terá de tirar todas as consequências necessárias e a CLC assumirá as suas responsabilidades. Depois do dia 30 de Junho, o povo congolês, sempre mobilizado e vigilante, será forçado a tomar corajosa e duradouramente o controlo de toda a extensão da república.

A CLC fará uma declaração importante após essa data”. O CLC observa que, a nove dias da data da convocatória ao eleitorado, nada garante que Joseph Kabila esteja decidido a liderar o país para as eleições sem ele. A CLC apresentou seis inquietações sobre o actual processo eleitoral. Ele questiona a fiabilidade do registo eleitoral, a falta de consenso sobre o uso da máquina de votação, a selectividade de medidas de flexibilização, a questão das listas dos partidos políticos e coligações, falhas dentro da CENI, e a falta de um plano de desembolso para financiar as eleições.