loader

Guterres pressionado para discutir com Putin o caso de prisioneiros ucranianos

38 países pediram a Guterres que discuta com Putin “o sofrimento” de quem está detido ilegalmente. O caso do realizador Sentsov, que está em greve de fome, deve ser levantado “urgentemente”.

Vários países pediram Quinta-feira ao secretário- geral da ONU, António Guterres, que discuta com o Presidente russo, Vladmir Putin, o caso do cineasta Oleg Sentsov e de outros prisioneiros ucranianos. “É preciso tomar medidas para resolver o sofrimento de todos aqueles que estão detidos ilegalmente”, lê-se na carta dirigida a Guterres, assinada por um total de 38 países. O dirigente máximo da ONU reúne-se com Putin na próxima Quarta-feira, em Moscovo, a propósito da Copa do Mundo de futebol que decorre este ano na Rússia.

O caso do realizador Sentsov, a cumprir uma greve de fome desde o passado dia 14 de Maio, deve ser levantado “urgentemente” com o Kremlin, apelaram à ONU vários países, incluindo os Estados Unidos, França, Inglaterra, Austrália, Canadá, Turquia e Ucrânia. O realizador ucraniano de 41 anos, um reconhecido opositor da anexação da península ucraniana da Crimeia pela Rússia, foi condenado por um tribunal de Rostov-sur-le-Don, no Sul da Rússia, a 20 anos de prisão por terrorismo, associação terrorista e tráfico de armas.

Os Presidentes russo e ucraniano, Vladimir Putin e Petro Poroshenko, falaram recentemente de uma “troca de prisioneiros” entre os dois países durante uma conversa telefónica, anunciou o Kremlin, em comunicado. Os dois responsáveis políticos focaram “questões humanitárias, como a troca de pessoas detidas”, durante a conversa, uma iniciativa da Ucrânia, referiu o Kremlin. Na conversa, Petro Poroshenko referiu estar “inquieto” perante a deterioração da saúde dos prisioneiros ucranianos em greve de fome, nomeadamente do cineasta Oleg Sentsov. Mais de dez mil pessoas morreram na guerra entre forças do Governo e separatistas pró-russos no Leste da Ucrânia.

Últimas Notícias