loader

Polícia da Huíla recolhe mais de dez armas de fogo da Defesa Civil

O comando da Polícia Nacional na Huíla recolheu, na última Quinta-feira, um total de 11 armas de fogo do tipo AKM, no município de Caluquembe, a 193 quilómetros da cidade do Lubango, que pertenciam à extinta Defesa Civil

Texto de: João Katombela, na Huíla

Além deste material bélico, segundo o director de Comunicação Institucional e Imprensa da Delegação Provincial do Interior, Carlos Alberto, foram ainda recolhidas 60 munições, 12 carregadores de armas AKM, uma cartucheira e dois projécteis de morteiro 60.

A recolha deste material bélico só foi possível graças a uma informação prestada pelo soba da localidade de Vissapa, Miguel Gomes, que comunicou às autoridades policiais tão logo se apercebeu da existência dos mesmos. Desconfia-se que ainda existam armas de fogo na posse da população civil, apesar dos apelos para a entrega voluntária.

Com as armas, acrescentou Manuel Halaiwa, inspector prisional, podem ser cometidos vários crimes, com realce para as ofensas corporais, ameaças com arma de fogo e, nos casos mais graves, homicídio voluntário. Por esta razão, apela a todos os cidadãos a terem a cultura de denúncia.

“Queremos incentivar todas as pessoas que têm conhecimento da existência de armas de fogo, em posse de cidadãos ou ainda em lugares escondidos, de a comunicarem às autoridades”, recomendou. Por seu lado, o Soba Miguel Gomes disse que as armas de fogo pertenciam à extinta Defesa Civil daquela localidade.

Apercebendo-se do perigo que as mesmas representam para a comunidade, teve de chamar a polícia. “No tempo de desarmamento da defesa civil tínhamos essas armas na comunidade, mas ninguém sabia do seu paradeiro, porque os responsáveis da Defesa Civil tinham morrido todos.

No mês de Março descobrimos onde estavam guardadas e, no Sábado passado, chamamos a Polícia para as recolher” explicou.

Últimas Notícias