loader

Contabilista defende concurso para gestores públicos

O gestor Ricardo Fernando aconselha o executivo a exercer mais rigor na admissão de gestores para as empresas públicas, para que alcancem resultados qualitativos

POR: Brenda Sambo

Desde o começo do ano, o Estado anunciou que vai privatizar algumas empresas públicas, processo que está em curso. O objectivo do Governo é maximizar as receitas para o Estado, mas também a garantia do acesso aos pequenos subscritores. Por essa razão, o contabilista angolano Ricardo Fernandes defende que para o caso das empresas públicas que não forem privatizadas por serem estratégicas para o Estado, “deve haver mais rigor na escolha das equipas de gestão”, acrescentando que “os gestores devem  passar por um concurso público”, defende.

Em exclusivo ao OPAÍS, Rodrigues Fernandes diz não concordar que os gestores sejam indicados pelo Executivo, tendo referido que o critério para a selecção dessas empresas ainda não é o melhor. Sublinhou também que a gestão das empresas públicas falha por culpa da fraca supervisão e dos critérios para selecção dos seus recursos humanos, que ainda não são os melhores. Para que as empresas públicas tenham resultados positivos, defende que haja uma supervisão regular das contas, através de auditorias regulares na contabilidade dessas empresas, e também fazer a divulgação constante desses resultados na imprensa.

“A grande diferença entre as empresas públicas e privadas, apontou o responsável, está relacionada com o tipo de gestão e também os objectivos”. Quanto aos contabilistas, afirmou que existem no país cerca de 6 mil, número que considera reduzido para cobrir as necessidades das mais de 80 mil empresas existentes no país. Para que este número aumente, Ricardo Fernando aponta que é preciso uma grande mobilização na sociedade civil, realçando a importância dos contabilistas, por formas a atrair mais técnicos. Na mesma senda, refere a necessidade de o Estado melhorar o ambiente de negócios, para que a economia seja mais dinâmica, por via do aumento do volume de empresas. “Só tendo uma economia mais dinâmica, mais saudável, atractiva e com mais empresas, então, de certeza que o país também vai ganhar mais economistas”, considerou.

Conferência de imprensa acontece hoje

Por outro lado, na qualidade de sócio-gerente da empresa de organização e gestão SABACA, Ricardo Fernandes anunciou a realização de uma conferência de imprensa, hoje, no Memorial António Agostinho Neto, cujo objectivo é anunciar a organização do fórum sobre a contabilidade e gestão nas empresas. O fórum será realizado no próximo mês, entre os dias 17 e 18 de Julho. Ricardo Fernando afirma que “existe um défice muito grande por parte de muitos empresários sobre conhecimentos e técnicas de gestão”, razão que motivou a realização do fórum. A conferência que acontece esta manhã, no memorial António Agostinho Neto, tem como objectivo alertar os pequenos e médios empresários sobre a importância de conhecimentos técnicos que facilitem a gestão das empresas com eficiência e qualidade.

Últimas Notícias