loader

Membros da OPEP reúnem-se hoje para discutir aumento da produção

A organização dos Países Exportadores de Petróleo (oPEP) pode determinar, na reunião que hoje decorre em viena, na Áustria, um aumento na produção de 1,5 milhões de barris por dia, uma perspectiva que divide opiniões, pois há analistas que consideram a decisão necessária, dado que a procura não pára de crescer, enquanto outras vozes apelam à ponderação, uma vez que a medida está a pressionar os preços do petróleo, com a matéria-prima a recuar quase 2%

Os países produtores e exportadores de petróleo, assim como a Rússia, tencionam aumentar os níveis de produção, uma medida que pode não ter consenso.

Numa reunião conjunta, a organização e o país de Vladimir Putin vão sentar-se à mesma mesa para uma discussão acerca da subida ou não na produção de petróleo. A expectativa do mercado é que o grupo anuncie um aumento de produção de 1,5 milhão de barris por dia (bpd). Analistas internacionais acreditam que a medida pode não ter sucesso.

A título de exemplo, cita-se a pressão nos preços do “ouro negro”, cujas cotações registam uma queda de 2%. Outro factor que pode condicionar a subida da produção é o recente ataque de militantes aos portos da Líbia, membro da OPEP, bem como a crise profunda que se arrasta na Venezuela, que vive dificuldades para viabilizar a sua produção por falta de recursos.

Na reunião de hoje, espera-se que a OPEP avance com um aumento na produção para responder à crescente procura por “ouro negro”. Segundo a Agência Internacional de Energia, a procura global de petróleo voltará a crescer no próximo ano ao mesmo ritmo de 2018, com 1,4 milhões de barris diários.

Pelo acordo que está em vigor desde o início do presente ano económico, a OPEP e dez países que não integram a organização têm estado a reduzir a sua produção combinada em aproximadamente 1,8 milhões de barris por dia. Neste cenário, membros do grupo estimam maior procura global, o que deve fazer com que os preços do barril se mantenham estáveis ou até subam, em meio ao aumento das perfurações, principalmente nos EUA.

Petróleo

Brent recua 1, 81% o barril do petróleo brent, referência para as exportações angolanas, negociado em Londres, esteve ontem a recuar 1,81% para uSd 73,38, enquanto o West texas intermediate (Wti), negociado em nova iorque, caiu 1,49% para uSd 64,72, em resposta ao possível aumento da produção por parte da oPEP. o preço médio do barril de petróleo, calculado com base em informações de 14 membros da oPEP, ficou em uSd 71,09, segundo relatório da organização divulgado terça-feira, a que o oPAÍS teve acesso.

Últimas Notícias