loader

Música: A vida de Michael Jackson chega à Broadway em 2020

O argumento está a cargo de Lynn Nottage, vencedor de dois Pulitzers, e cabe a Christopher Wheeldon a direção e coreografia do espectáculo, anunciado pela empresa que gere a herança do rei da pop

Em 2020, a vida e a música de Michael Jackson vão voltar onde, afinal, sempre fizeram mais sentido, ao palco. Segundo anunciou a The Michael Jackson Estate, a gestora da herança do músico, e a promotora Columbia Live Stage, está a ser preparado um musical sobre o rei da pop que vai estar em cena na Broadway. As informações sobre o espectáculo são ainda escassas, mas na Broadway a história do rei da pop vai ser dada a conhecer através de “uma partitura de algumas das canções mais amadas e vendidas da história”.

E já há algumas presenças garantidas. Thriller, Beat it, Billie Jean ou Bad, alguns dos maiores sucessos da longa carreira de Michael Jackson, vão ganhar uma nova vida nesta produção da Broadway, uma boa notícia para a legião de fãs do músico, espalhada pelos quatro cantos do mundo. Nesta altura, nem o título nem os actores do musical foram ainda revelados, mas já é conhecida a argumentista – Lynn Nottage, vencedora de dois prémios Pulitzer – assim como o responsável pela direção e coreografia do espectáculo – Christopher Wheeldon, já galardoado com um Tony Award.

O musical está previsto estrear em 2020, 11 anos após a notícia que chocou o mundo das artes. Michael Jackson morreu a 25 de Junho de 2009, aos 50 anos, devido a uma overdose de medicação. Jackson inspira espetáculos Este espectáculo da Broadway não é o primeiro sobre o rei da pop.

Em cena há quase uma década, Thriller Live pode ser visto em Londres e, em Las Vegas, Michael Jackson One, um tributo do Cirque do Soleil, estreou-se em 2013. Mesmo na Broadway, o legado de Michael Jackson também já foi transformado para o palco em Motown The Musical.

Se esta nova produção está longe de ser a primeira em torno da obra do rei da pop, a verdade é que será a primeira biográfica e que histórias não faltarão para contar. Ícone mundial, só mesmo as polémicas em que se viu envolvido rivalizam com o número de sucessos que conseguiu.

E nesse campeonato, ao longo de quase 40 anos de carreira, o rei jogou quase sempre longe da concorrência. Os números falam por si. Só com Thriller, numa única edição dos Grammys, ganhou oito prémios e vendeu mais de cem milhões de cópias no mundo.

No total, o currículo de Jackson inclui 19 Grammys, 22 American Music Awards e 12 World Music Awards, uma colecção de galardões que começou bem cedo a construir, ou não tivesse sido, ainda miúdo e na companhia dos irmãos, a principal estrela nos Jackson 5. Fonte: Diário de Notícias

Últimas Notícias