loader

Saham seguros factura mais de Kz 18 mil milhões em 2017

O administrador delegado da Saharam Seguros Angola, Paulo Bracons, informou nesta Terça-feira, em Luanda, que a firma que dirige atingiu mais de Kz 18 mil milhões, durante o ano económico de 2017, o que representa um crescimento na ordem dos 20% do indicador global

POR: Borges Figueira

O administrador delegado da Saham Seguros em Angola, Paulo Bracons, referiu que os resultados obtidos em 2017 significam que a empresa cresceu em termos de capital próprio e que cresceu nos indicadores globais. “Durante o ano económico de 2017, a Saham Seguros Angola emitiu mais de 105 mil e 145 apólices, sendo 93% a nível da província de Luanda, num universo de 10 agências em todo o país”, avançou. Em declarações ao Jornal OPAÍS, Paulo Bracons informou igualmente que a firma tinha projectado expandir-se para várias províncias, entretanto, por força do actual quadro económico e financeiro que o país atravessa, não foi possível concretizar o projecto. Adiantou que tão-logo a situação se regularize o mesmo será implementado em outras cidades.

“A firma tem ainda como grandes desafios para o presente ano económico a consolidação de resultados e melhorias de processos e sistemas, tendo em conta o crescimento galopante que a companhia registou nos últimos anos, no que concerne o número de apólices e clientes no mercado angolano”, realçou, para depois acrescentar: “É por essa razão que temos de ter uma capacidade de resposta para a satisfação dos nossos clientes”, disse.Pelos indicadores existentes, sublinha, a Saham lidera o seguro automóvel em Angola, e isso só foi possível graças aos pontos de venda e agências que estão abertos sete dias por semana, em vários pontos de Luanda, o maior centro populacional de Angola. Paulo Bracons acrescentou ainda que o mercado nacional possui hoje cerca de 30 seguradoras, das quais 26 se encontram em pleno funcionamento, e a sua contribuição no Produto Interno Bruto (PIB) é inferior a 1%, defendendo, por isso, que é preciso fazer crescer o sector segurador em Angola.

“Acreditamos que é fundamental que os seguros a “retalho”, particulares e de outros riscos, possam chegar a uma taxa de penetração na ordem dos 2,5% a 3%”, admitiu, afirmando que o mercado angolano oferece boas condições. No que toca à capacidade e competência internas para responder eficazmente aos desafios, reconhece que o sector ainda tem muito a fazer para criar e desenvolver negócios, já que considera que não basta criar uma seguradora “é preciso ter-se competências internas.” Questionado sobre a carteira de negócios da asseguradora, Paulo Bracons fez saber que a empresa está equilibrada e com indicadores de liderança nos seguros de automóveis, bem como no aumento significativo do número de apólices de seguros de saúde, incêndios e múlti-riscos, bem como de responsabilidade civil , que são considerados serem os mais importantes para a Saham. A título de exemplo, o administrador delegado da Saham disse que “os seguros de saúde e viagens representam 27%, os de incêndios 42%, e os de automóveis 29% da carteira da firma.

Novos produtos

A seguradora está a trabalhar no sentido de, nos próximos dias, lançar novos produtos virados para particulares que, no seu entender, vão provocar novos desafios no mercado de seguros em Angola.

Últimas Notícias