loader

Continente africano tem 10 mil combatentes jihadistas, segundo Marrocos

Ao menos 10 mil combatentes do grupo Estado Islâmico (EI) e da Al-Qaeda no Magreb Islâmico (AQMI) encontram-se actualmente no continente africano, revelou nesta Terça-feira o ministro marroquino das Relações Exteriores, após uma reunião com a coalizão internacional que combate os jihadistas.

“Com base na evolução da estratégia do Daesh – acrónimo em árabe do EI – a África está entre as zonas mais atacadas” e de “vulnerabilidade explorada pelas redes terroristas”, declarou Nasser Bourita.

O ministro marroquino pediu uma sinergia entre os países africanos e a coalizão internacional dirigida pelos Estados Unidos, cujos dirigentes políticos se reuniram nesta Terça-feira, em Skhirat, na região de Rabat.

Depois da Síria, Iraque e Afeganistão, o continente africano é o local que sofre o maior número de atentados e tem mais vítimas que a Europa, explicou Bourita em conferência de imprensa ao lado de Brett McGurk, enviado especial do presidente americano, Donald Trump.

 

Últimas Notícias