loader

Escolas Católicas de Malanje beneficiam de aulas digitais

Quinze mil alunos das escolas católicas do ensino primário de Malanje foram, esta Segunda-feira, contemplados com meios informáticos para aulas digitais, na sequência da segunda fase do “Projecto ProFuturo”, cuja primeira fase foi implementada no ano de 2016 e beneficiou 10 escolas católicas e 5 mil alunos do ensino primário, em Malanje

Texto de: Miguel José, em Malanje

No acto de lançamento, o arcebispo metropolitano de Malanje, Dom Benedito Roberto, considerou que a libertação do homem, por meio do ensino, sempre esteve entre as preocupações da Igreja Católica, rumo à redução das desigualdades educacionais. Fazendo uma breve retrospectiva ao percurso da sua igreja, Dom Benedito Roberto recordou aos presentes que a igreja missionária, em Malanje, sempre se preocupou com a libertação do homem, até porque a igreja optou e continua a optar, em princípio, por actuar em áreas afectadas pelo subdesenvolvimento e junto às populações mais carentes.

Porém, aproveitou o momento para enaltecer os bispos católicos que no começo da ‘nação angolana’, em 1975, a solidariedade que partilhavam com as populações angolanas pobres era fruto da sua fé em Jesus Cristo, que ensinou a ser feito a ele mesmo o que se faz à qualquer pessoa. Assim, o prelado louvou a iniciativa do Papa Francisco ao proporcionar às crianças angolanas, sobretudo pobres, através da Igreja Católica, a alegria de também manusearem as tecnologias digitais.

“É nesta lógica de solidariedade cristã, e por isso mesmo universal, que assenta”, sublinhou. Depois dos 5 mil alunos formados na primeira fase, Dom Roberto recomendou aos outros 15 mil, a serem formados nesta segunda fase, a aproveitarem da melhor forma a oportunidade que lhes é proporcionada, por serem os escolhidos.

Também agradeceu aos 275 professores das 26 escolas contempladas pela graça que os tocou e apelou para que sejam verdadeiros professores, animados pelo espírito da Igreja Católica.

“Esta escola é católica, por isso mesmo, nós sabemos, aceitamos e estamos satisfeitos com os professores e directores de outras confissões religiosas. Mas é na escola católica que toda esta actividade se deve realizar, segundo as suas normas”.

O arcebispo de Malanje anunciou que a segunda fase do “Projecto ProFuturo”, levará as tecnologias digitais às localidades de Cacuso, Calandula, Cangandala, Caculama, Lombe e também à Casa do Gaiato.

Governo interessado em apoiar o projecto

O governador da província de Malanje, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, convidado à cerimónia de lançamento oficial da segunda fase deste projecto, expressou a sua satisfação ao saber que milhares de crianças entram para o mundo das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), tendo, por isso, proposto a implementação do projecto em outros municípios ainda não contemplados e ajudar materialmente.

Norberto dos Santos reconhece que o “ProFuturo” é um dos inúmeros projectos levados a cabo pelas escolas da Igreja Católica e que merece ser replicado pelo sector da Educação, tendo encorajado a igreja a prosseguir com acções do género.

“O Governo Provincial de Malanje está ciente das dificuldades em ter projectos como estes. Entretanto, encorajamos e esperamos que contem connosco em apoios materiais e até mesmo institucional naquilo que for possível dentro das limitações financeiras que enfrentamos”, garantiu.

Entretanto, o governador exaltou o papel da igreja como parceira do Estado angolano na indicação de soluções para os inúmeros problemas que a sociedade enfrenta e exortou todas as ‘forças vivas’ da sociedade a participarem em acções do género, para que as crianças beneficiem de uma formação de qualidade, nos padrões internacionalmente aceites.

No final da sua intervenção, o governante sublinhou a contínua aposta do Executivo na expansão das TIC, referindo que a sociedade malanjina já sente os seus ganhos, com a instalação de pontos de acesso grátis à Internet, além das mediatecas móveis em alguns municípios, que permitem o acesso ao conhecimento por parte dos estudantes e outros interessados.

Outrossim, não escondeu a sua inquietação com os crescentes casos de fraude em trabalhos académicos elaborados com recurso às TIC, tendo apelado os estudantes e aos professores a adoptarem uma postura mais responsável e mais rigorosa na utilização desses meios. Criado em 2016, pelo líder da Igreja Católica, Papa Francisco, o projecto “ProFuturo” pretende melhorar a qualidade do ensino e promover a inclusão digital nos países em vias de desenvolvimento e já está implementado em 21 países, beneficiando 1 milhão e 839 mil alunos do ensino primário.

O mesmo funciona com recurso a tablets em que estão instalados diversos aplicativos com conteúdos académicos.

Últimas Notícias